Sempre tive uma grande paixão pelas viagens, em descobrir lugares novos, pessoas e costumes diferentes…


Ao longo dos últimos vinte anos viajei pelos cinco continentes, totalizando 36 países.


Foi viajando que encontrei a minha vocação. Me tornei guia de turismo no Rio de Janeiro, onde estudei e obtive a credencial nas categorias: regional, nacional e internacional pela Embratur.


Em 2000, me casei e acabei fixando residência em Paris. Aqui fiz vários cursos como História da Arte na Escola do Louvre, História da Arte Renascentista na Escola Superior de Artes Aplicadas Duperré, além de outros cursos livres sobre o patrimônio artístico de Paris: arquitetura, pintura, escultura, jardins, etc.


Sou oficialmente Guia de Turismo em Paris com carteira profissional emitida pelo Ministério do Turismo e da Cultura da França.


Assim com o olhar de uma viajante e de uma profissional da área, tenho oferecido meus serviços de acompanhamento, organização e consultoria para turistas brasileiros em Paris.


Bienvenue à Paris !


Miriam Tanno Girardot


quinta-feira, 18 de março de 2021

Dia 18 de março 1871 - Comuna de Paris



No dia 18 de março de 1871, deu-se início à COMUNA DE PARIS, uma das mais importantes insurreições populares do séc.XIX e da história de Paris, que durou 72 dias.
A primeira tentativa da história, de um governo regido pelo proletariado.
OS MOTIVOS DA INSURREIÇÃO:
- o não reconhecimento do governo da Assembléia Nacional (que era em sua maioria, monarquistas);
- uma reação à derrota francesa na guerra franco-prussiana de 1870, quando Paris foi ocupada pelas tropas alemães e a população passou fome;
- a escolha de uma organização do tipo libertária, baseada na democracia direta, que deu origem ao comunalismo.
QUEM ERAM OS INSURGENTES?
Os arquivos da repressão à Comuna permite formar um retrato social dos insurgentes: trabalhadores parisienses, idade média 30 anos, muitos operários da construção civil, os diaristas, operários metalúrgicos entre outros, assalariados, sapateiros,
comerciantes de vinho, trabalhadores na edição de livros altamente politizados...
O FIM DA COMUNA DE PARIS
Erros estratégicos de combate, falta de clareza na liderança do movimento, levaram o fim da Comuna.
Adolf Thiers era o presidente do novo Governo Provisório da Defesa Nacional, que se refugiou em Versalhes e fez uma repressão sangrenta que fez cerca de 30 mil vítimas.
ALGUMAS DAS PRINCIPAIS REFORMAS DA COMUNA DE PARIS:
- o trabalho noturno foi extinto;
- jornada de trabalho de 11 horas passou a 8 horas diárias;
- uma previdência social foi instituída;
- os sindicatos foram legalizados;
- a pena de morte foi abolida;
- a Educação se tornou gratuita, laica e obrigatória;
- escolas noturnas foram criadas e todas as escolas passaram a ser de sexo misto;
- igualdade entre os sexos;
- Separação do Estado e da Igreja, que deixou de ser subvencionada pelo Estado e os espólios sem herdeiros passaram a ser do estado.
A foto do feed é da obra de Delacroix "A Liberdade guiando o povo" inspirada da revolução das Três Gloriosas de 1830 que se encontra no Museu do Louvre.

▪️Instagram: @guia_brasileira_em_paris
▪️E-mail: guiaemparis@outlook.com
▪️WhatsApp: +33663266071

terça-feira, 9 de fevereiro de 2021

A Ladurée vai ser vendida ???

Foto: Miriam Girardot


Uma notícia que está dando o que falar nos últimos dias é sobre a venda da Ladurée.
Fundada em 1862, ficou famosa pelos seus macarons, mas se diversificou seus produtos (de pâtisserie, salgados além dos chaveiros, velas, écharpes…) após ter sido adquirida em 1993, pela família Holder, a mesma proprietária da rede Paul.

David Holder há 27 anos na presidência da Ladurée, fez um comunicado recentemente que está refletindo sobre uma nova estratégia para a Ladurée, ou seja, a entrada de capital através de um novo acionário (especializado no turismo e no luxo), mas que ele permanecerá como presidente da empresa.

Com a pandemia e a ausência de turistas estrangeiros, o faturamento em 2020, caiu em dois terços, para menos de 50 milhoes de euros, o que dificulta manter a estrutura da empresa, que possui 41 lojas na França, 66 lojas em 22 países e cerca de 1760 funcionários.
As lojas do Japão e do Oriente Médio são as únicas que continuam operando como antes do aparecimento do covid.

A Ladurée da Champs Elysées inaugurada em 1997, representa um terço das vendas na França. Tão elegante quanto o 1° endereço da marca, na rue Royale, n°16, é na avenida mais famosa do mundo que possui um espaço perfeito. Funciona como restaurante, salão de chá, bar e um espaço take away.

Aliás, a Ladurée foi uma das primeiras a criar o salão de chá em Paris, no período do 2° Império, em que a moda eram os cafés luxuosos.
A esposa de Louis Ernest Ladurée teve a idéia de misturar o café parisiense e a pâtisserie, surgindo assim, o salão de chá que acolhia as mulheres com toda a liberdade.

O meu endereço favorito é o da Champs Elysées, que sempre incluo no roteiro dos meus clientes.
E quase sempre sem fazer fila. 
Quando passar essa pandemia, venha fazer uma visita guiada comigo !

Instagram: @guia_brasileira_em_paris

E-mail: guiaemparis@outlook.com


WhatsApp +33 6 63 26 60 71


www.parisacidadedosnossossonhos.com



Os ursos invadem Paris

Café Les Deux Magots 
Foto: Miriam Girardot


Como os cafés e restaurantes continuam fechados, quem está ocupando os lugares dos habitués são os ursos de Gobelins (1,40cm) que surgiram em 2018, no 13ème arrond. e agora estão invadindo todos os bairros de Paris.
Um momento de doçura em meio à essa pandemia.

Abertura dos jardins do Museu Rodin


Uma excelente notícia: reabertura dos jardins do Museu Rodin desde o dia 16 de janeiro.

São 3 hectares de jardim, um dos mais bonitos dos museus parisienses.

Dois percursos: Jardim do Orfeu e O Jardim da Primavera.

Várias obras espalhadas pelos jardins, como O Pensador, a Porta do Inferno, Balzac, Os Burgueses de Calais, Orfeu, Afrodite...

Horário de funcionamento:
Das 10h00-17h00 - último acesso as 16h30
Preço: 6€ tarifa normal e 4,50€ tarifa reduzida
Se nevar, os jardins não abrirão.


La Pagode em Paris



La Pagode foi construída em 1896, pelo arquiteto Alexandre Marcel, num período em que o japonismo estava em voga.

Foi um presente do diretor do Bon Marché (a primeira loja de depto do mundo) à sua esposa Madame Morin.

A inauguração foi um jantar para 100 convidados com a Orquestra da Opèra de Paris. Ela fez inúmeras recepções até falecer em 1917.

Em 1931, o local foi transformado em cinema com duas salas, aliás,o único cinema do 7ème arrond.

La Pagode se tornou um dos locais cult dos cinéfilos.

Foi inscrita ao Monumento Histórico em 1990.

O cinema foi fechado em 2015. Dois anos mais tarde foi vendido ao magnata americano Charles S. Cohen.

E um projeto de renovação está em curso para reabrir como cinema e outras atividades culturais.

Estranhamente, na manhã do primeiro dia de confinamento em 11/05/2020, as árvores do jardins foram derrubadas. O jardim tinha sido classificado como Monumento Histórico em 1983.

Foto: Miriam Girardot



quarta-feira, 6 de janeiro de 2021

A rainha francesa Maria Antonieta


Maria Antonieta - Marie-Antoinette d'Autriche, tornou-se esposa do rei Louis XVI, aos 14 anos de idade.

Não foi uma rainha amada pelo povo francês. Era considerada perdulária e promíscua, que influenciava o rei a favor dos interesses austríacos.

Os franceses a chamavam de L'Autre-chienne, um trocadilho.
Autrichienne significa "mulher austríaca" e autre-chienne "outra cadela".

Após a Revolução Francesa em 1789, a família real foi transferida ao Palácio de Tuileries (Louvre).
Em 1791, houve uma tentativa de fuga à Varennes.
No ano seguinte, foram enviados à Prisão do Temple e a monarquia foi abolida.

O rei Louis XVI foi guilhotinado em 1793 e Maria Antonieta foi julgada, condenada por alta traição e guilhotinada em outubro do mesmo ano.

Maria Antonieta foi a rainha francesa mais famosa e de muitas controvérsias, sendo a personagem de livros, filmes e produtos variados.




Vontade de visitar Paris?
Comece a planejar a sua viagem e conte com uma guia brasileira credenciada.
guiaemparis@outlook.com

sábado, 12 de dezembro de 2020

Natal na minha cidade: Paris

Cupula da Galeria Lafayette
Foto: Miriam Girardot


CALENDARIO ARQUITETONICO


Edição Especial


O Natal em minha cidade: Paris


Galeria Lafayette - foto: M. Girardot
Galeria Lafayette
Foto: Miriam Girardot

A cada final de ano, a cidade se transforma, um ar mágico e festivo toma conta da cidade.


Coluna de Julho - Bastilha
Foto: Miriam Girardot


Paris entra num ritmo frenético porque diferentemente do Brasil, o comércio não funciona até as 22:00, assim o transporte público, as ruas, as lojas, tudo fica lotado no mês de dezembro.


Bercy Village 
Foto: Miriam Girardot

E além das compras, há muitas atrações:


- as lindas vitrinas de Natal da Galeria Lafayette, da Printemps, Le Bon Marché;


- as iluminações de Natal em toda a cidade: Champs Elysées, avenue Montaigne, Place de la Concorde, Bastilha, rue Faubourg Saint-Honoré, Hotel de Ville e Bercy Village e nas ruas de comércio; 


- as feiras de Natal que se espalham por toda a cidade. São mais de 20 feiras, desde pequenas e grandes como a da La Défense e dos Jardins des Tuileries (antes na Champs Elysées);


- espetáculos tradicionais de final de ano: circo, musical, show, teatro e cinema;


- o Grand Palais oferece 3.000m2 de espaço para patinação no gelo e há outros rinques menores espalhadas na cidade.


Este ano de pandemia, apenas as vitrinas e as iluminações de Natal foram mantidas.


Foto: Miriam Girardot

Assim como uma pequena feira de Natal no Hotel de Ville  e os carrosséis gratuitos do dia 11 de dezembro ao 03 de janeiro.


Westifield Les Halles
Foto: Miriam Girardot

Torcendo muito para que a vacina contra o covid-19 seja eficiente e que possamos voltar à  vida normal !


Louis Vuitton da Place Vendôme
Foto: Miriam Girardot