Sempre tive uma grande paixão pelas viagens, em descobrir lugares novos, pessoas e costumes diferentes…


Ao longo dos últimos vinte anos viajei pelos cinco continentes, totalizando 35 países.


Foi viajando que encontrei a minha vocação. Me tornei guia de turismo no Rio de Janeiro, onde estudei e obtive a credencial nas categorias: regional, nacional e internacional pela Embratur.


Em 2000, me casei e acabei fixando residência em Paris. Aqui fiz vários cursos como História da Arte na Escola do Louvre, História da Arte Renascentista na Escola Superior de Artes Aplicadas Duperré, além de outros cursos livres sobre o patrimônio artístico de Paris: arquitetura, pintura, escultura, jardins, etc.


Sou oficialmente Guia de Turismo em Paris com carteira profissional emitida pelo Ministério do Turismo e da Cultura da França.


Assim com o olhar de uma viajante e de uma profissional da área, tenho oferecido meus serviços de acompanhamento, organização e consultoria para turistas brasileiros em Paris.


Bienvenue à Paris !


Miriam Tanno Girardot


domingo, 24 de janeiro de 2016

O Canal Saint-Martin em Paris foi esvaziado...

Canal Saint-Martin vazio - foto: Miriam ATG 
O Canal Saint-Martin (4,55 km de extensão) situado no 10, 11 e 10eme. arrondissements de Paris, inaugurado em 1825, com seus 90 mil metros cúbicos d'água foi esvaziado nesse último 04 de janeiro.

A operação de limpeza vai durar três meses e custará aos cofres públicos 9,5 milhões de euros. 

A última limpeza efetuada foi no inverno de 2001-2002, quando foram retirados mais de 40 toneladas de lixo.  

Estima-se que 4,5 toneladas de peixes serão retirados e analisados, e uma vez terminada a limpeza, eles serão reintegrados ao Canal.

Croisière Touristique - foto: Miriam ATG 
O Canal Saint-Martin é utilizado essencialmente para o transporte de passageiros através de cruzeiros turísticos e pelo transporte de produtos.

Quai de Valmy - foto: Miriam ATG 
Quando conheci Paris em 1997, essa região era meio largada, marginal, muito diferente do que é hoje. Houve uma revitalização da área, lembro que a primeira loja no melhor estilo bobo (a expressão em português que mais se aproxima é a esquerda caviar) a se instalar ali foi a "Antoine &
Lili", além da loja de roupas, a marca abriu um café na esquina, mas já não existe mais, e desde então, outras marcas de luxo se instalaram. 

Essa revitalização é mais conhecida como gentrificação. A palavra vem do inglês "gentrification"  que é o fenômeno que afeta uma região ou bairro pela alteração das dinâmicas da composição do local, tal como novos pontos comerciais ou pela construção de novos edifícios, valorizando a região e afetando a população de baixa renda local.
Tal valorização é seguida de um aumento de custos de bens e serviços, dificultando a permanência de antigos moradores de renda insuficiente para a sua manutenção no local cuja realidade foi alterada.

Foto: Miriam ATG 
A beira do Canal Saint-Martin é o ponto de encontro durante o dia e à noite quando o clima permite, local preferido dos parisienses para fazer piquenique, jogar conversa fora, beber, tocar violão, cantar…

Tanto que aos domingos, de abril à setembro, as  ruas do canal são fechadas para a circulação de carros das 10h00 às 20h00 para que os pedestres e ciclistas se apropriem do local.


O filme francês "O fabuloso destino de Amélie Poulain" de 2001 imortalizou o Canal Saint-Martin.
Quem não se lembra da Amélie Poulain caminhando pelo canal e jogando pedras na água…

Aguardando a primavera quando está previsto o término da reabilitação do canal. 





Feira do Casamento - Salon du Mariage" 2016 em Paris


Nos dias 30 e 31 de janeiro 2016 acontece o "Salon du Mariage" na Porte de Versailles !

Tudo sobre casamento: os mais belos vestidos de noivas,  decoração, fotografia, convites, lua-de-mel, organização, etc. 

São mais de 200 expositores e a cada ano mais de 20 mil visitantes.

Para receber um convite gratuito, solicitar através do link


Local: Paris Porte de Versailles - Hall 5.1

Horário: das 10h00 às 19h00

Metrô: Porte de Versailles linha 12
Tranway: T2 e T3 Porte de Versailles Parc des Expositions


sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

De David à Delacroix no Museu da Vida Romântica em Paris

Emile Signol (1804-1892) Folie de la fiancée de Lammermoor 
O Museu da Vida Romântica apresenta na exposição "Faces do Medo" (Visage de l'Effroi), um dos seus temas favoritos sobre os artistas românticos: a violência e o terror. O artista romântico é considera
do um artista melancólico porque é um artista que mostra o seu medo e seu mal-estar num mundo onde os homens devem manter a sua razão, seu sangue-frio.
Após a queda do Antigo Regime e da monarquia, as guerras napoleônicas e a fome que desestabilizava a França, tanto no seu plano político como social e cultural. Os artistas repensam as suas obras e introduzem seus sentimentos durante o período da "La Terreur (Revolução Francesa)", depois das guerras napoleônicas, o horror é onipresente no cotidiano francês.  
Assim, no Museu da Vida romântica, reúne obras de Delacroix, Géricault, Ingres, David e muitos outros, mostrando como os artistas mudaram sua forma de representar o terror em reação ao traumatismo revolucionário. A expressão dos rostos retratados é o objetivo da obra, oferecendo um foco sobre as reações visíveis nos rostos, fazendo ressentir os sentimentos de medo da população.
Naquela época, os artistas ofereciam um diálogo entre o mundo dos mortos e os vivos, em obras quase mórbidos que serão descobertas nesta exposição cheia de trabalhos inéditos.

Léon Cogniet - Tête de femme et d'enfant 
Data: 03 de novembro 2015 à 28 de fevereiro 2016
Local: Musée de la Ve Romantique - 16, rue Chaptal, 9eme. arrond. - 
Metrô: Saint-Georges linha 12, Pigalle linhas 2 ou 12, Blanche linha 2, Liège linha 13
Horário: 10h00 às 18h00 - fechado nas 2as.feiras 
Ingresso:
7 € tarifa normal e 5 € tarifa reduzida

Noite des Idéias em Paris


O ano de 2015 foi um ano catastrófico. Assim, para 2016, está decidido que todos unidos devemos pensar sobre o futuro e evitar o pior, é o tema proposta para a Noite de Idéias, uma iniciativa de Laurent Fabius, ministro das Relações Exteriores: a 1a. Edição da Noite de idéias acontecerá no dia 27 de janeiro de 2016, quarta-feira, das 18h às 2h00 da madrugada, no Hôtel du Ministre des Affaires Étrangères. 
Convidados locais e internacionais de várias áreas (artistas, cientistas, políticos e outros) dialogarão sobre questões do nosso tempo e do nosso futuro, sobre as questões de ecologia, economia, do imaginário coletivo, a cidadania, a saúde… 

Lista de palestrantes confirmados:

Blaise Aguera y Arcas, engenheiro, Estados Unidos
Jean-Claude Ameisen, médico e biologista, França
Souleymane Bachir Diagne, filósofo, Senegal
Patrick Boucheron, historiador, França
Michaël Foessel, filósofo, França 
Tristan Garcia, escritor, França
Rem Koolhaas, arquiteto e urbanista, Holanda
Bruno Latour, sociólogo, França 
Achielle Mbembe, historiador, Camaroes 
Vinh-Kim Nyguyen, médico, Canada 
Pierre Rosanvallon, historiador, França
Olivier Roy, politológo, França
Saskia Sassen, sociólogo e economista, Holanda
Audrey Tang, hacker, Taiwan
Laurence Tubiana, embaixadora do clima, França
Huang Yong-Ping, artista, China

Abertura

18h. Grande conférence. Dans quel monde vivrons-nous ?
Avec Rem Koolhaas, architecte et urbaniste, Pays-Bas et Bruno Latour, sociologue, France 
Animé par Mathieu Potte-Bonneville, Responsable du pôle Savoirs et débats d’idées, Institut français

1. HORIZONS
Comment s’orienter dans un monde dont changent les espaces, les limites et les croisements ?

19h. Dialogue. Quelles frontières ?
Avec Patrick Boucheron, historien, France et  Achille Mbembe, historien, Cameroun  
Animé par Emmanuel Laurentin, journaliste, France Culture

19h. Dialogue. Quelles circulations ?
Hind Meddeb, réalisatrice, journaliste reporter, France / Tunisie et Catherine Wihtol de Wenden, politologue, France
Animé par Aurélie Charon, productrice, France Culture

2. EXIGENCES
Quel sens nouveau prennent, aujourd'hui, les grandes aspirations morales et politiques ?

20h. Dialogue. Quelle citoyenneté ?
Pierre Rosanvallon, historien, France et Saskia Sassen, sociologue et économiste, Pays-Bas 
Animé par Aude Lancelin, journaliste, France Culture

20h. Dialogue. Quelles lumières ?
Michaël Foessel, philosophe, France et Srećko Horvat, philosophe, Croatie
Animé par Nicolas Truong, journaliste, Le Monde

DÉBAT EXCEPTIONNEL
21h. Conférence. Quelle justice pour quel avenir ?
Robert Badinter, avocat, universitaire et responsable politique, France et Stephen Breyer, juriste, membre de la Cour suprême, Etats-Unis
Animé par Caroline Broué, journaliste, France Culture

3. CONDITIONS.
A quelles conditions le monde de demain sera-t-il vivable ou invivable ?

22h. Dialogue. Quelles ressources ?
Valérie Masson-Delmotte, paléoclimatologue, France, et Laurence Tubiana, ambassadrice chargée des négociations sur le changement climatique, France
Animé par Anne-Cécile Bras, journaliste, RFI

22h. Dialogue. Quelle santé ?
Jean-François Delfraissy, médecin, France et Vinh-Kim Nguyen, médecin, Canada 
Animé par Éric Chol, directeur de la rédaction, Courrier international

4. REPÈRES.
Entre art, science et spiritualité, quelles formes prendra dans l'avenir l'exigence de sens ?

23h. Dialogue. Quelle spiritualité ?
Souleymane Bachir Diagne, philosophe, Sénégal et Olivier Roy, politologue, France 
Animé par Leili Anvar, chroniqueuse, France Culture

23h. Dialogue. Quelle vie ?
Jean-Claude Ameisen, médecin et biologiste, France et Huang Yong-Ping, artiste, Chine
Animé par Caroline Lachowsky, journaliste, RFI

CLÔTURE
00h. Grande conférence. Le monde d’après-demain.
Blaise Aguera y Arcas, ingénieur, États-Unis et Audrey Tang, hacker, Taïwan

Animé par Florent Latrive, journaliste, France Culture

Local: 
Quais d'Orsay - Hôtel du Ministre: 37, quais d'Orsay, 7eme. arrond.

Entrada gratuita, mas reserva obrigatória através do link abaixo:


quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Maratona Paris Versailles 2016


A Maratona Paris Versailles será realizada no dia 25 de setembro 2016, com partida da Torre Eiffel.

As inscrições começam no dia 22 de fevereiro.

O número de participantes será limitado a 25 mil atletas. 

Lembrando que na maratona 2015, as inscrições terminaram no dia 08 de junho. 

Para poder se beneficiar de um dossier preferencial (partida com a 1a. vaga internacional) é imperativo fazer o pedido no momento da inscrição ou logo após ter feito a inscrição através do seguinte e-mail:   
inscription@parisversailles.com 

Tabela de referência

Temps de référence
Homme
Femme
10.000 m
33mn
39mn
15.000 m
50mn
1h
Semi Marathon
1h 20 mn
1h 30mn
Marathon
2h 40 mn
3h 20 mn
PARIS-VERSAILLES ® (2012 à 2014)
1h 05mn
1h 15mn

Site oficial http://www.parisversailles.com/index.php?lang=en











quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Meia maratona da Disney Paris


Após Orlando e California, Paris terá a sua primeira meia maratona de 21 km da Disney que será realizada entre os dias 23 e 25 de setembro de 2016, assim como percursos de 10 km, 5 km, 2 km, 1 km, 400 m, 200 m e 100 m para crianças a partir de 1 ano de idade.

Para maiores informações acesse o site oficial:
http://run.disneylandparis.com/event



Espetáculos circenses em Paris no inverno 2016

Como eu havia já escrito no post de 10/11/2015, os melhores espetáculos de circos tradicionais, contemporâneos e eqüestres se instalam em Paris no período invernal.


O Cirque d'Hiver Bouglione foi o meu primeiro circo em Paris e fiquei encantada pela qualidade dos números e pela excelente orquestra, pela arquitetura, enfim, considero um dos melhores.
Esse circo é diferente dos tradicionais (que são em estrutura de aço e cobertos de lona), porque em Paris se apresenta no "Cirque d'Hiver" (uma construção em alvenaria redonda sem colunas tão comum nos circos), sendo um circo permanente, que foi construído em 1.852 e inicialmente chamado de Cirque Napoleão.
Adquirida pelos quatro irmãos Bouglione em 1934, passou a se chamar "Cirque d'Hiver Bouglione".
Até hoje, o nome da família Bouglione é inseparável deste lugar mítico, onde grandes artistas se apresentaram e os espetáculos circenses se produziram regularmente até 1984. 
Depois, houve reformas no local que passou a ser o palco de comédias musicais, concertos, recitais, e de outros circos como o Cirque du Soleil (1990)… 
Até que em 1999, a nova geração Bouglione decide investir novamente nos espetáculos circenses e obtendo grande sucesso, se apresentam a cada inverno um novo espetáculo de circo tradicional.
E desde outubro 2015, o Circo Bouglione começou a fazer uma turnê na França, com o espetáculo "Bravo", com um circo itinerante com uma estrutura para 1.800 lugares.


O espetáculo "Rire" em Paris, começou em outubro 2015 e termina no dia 06 de março 2016. 
São 2 horas de show
Preços a partir de 25 €
Gratuito para crianças menores de 2 anos 
Compre diretamente no site oficial
110, rue Amelot, 11e. arrond. - metrô: Filles du Calvaire linha 8


No Cirque Alexis Gruss, a especialidade é o show eqüestre, dirigida por Alexis Gruss que desde os sete anos de idade já apresentava um número de acrobacia sobre cavalo (volteio) num circo francês de grande prestígio, o Radio Circus. 
Em 1971, Alexis e o pai André, abriram a sua própria empresa de espetáculos. 
Três anos mais tarde, Alexis encontra a atriz Silvia Monfort em Paris juntos criam o espetáculo "Cirque à l'Ancienne" e depois a primeira escola profissional de circo na França, que em 1981, passa a ser Circo National.
Alexis Gruss exerceu todas as funções dentro de um circo: acrobata sobre cavalo, trapezista, palhaço, músico. 
Criou numerosos espetáculos apresentados em diversos países europeus. 

Começou no dia 17 de outubro até o dia 06 de março 2016.
Local: Carrefour des Cascades - Porte de Passy - 16eme. arrond.
Transporte gratuito da estação de metrô Porte d'Auteuil linha 10 - saída (sortie) Hippodrome até o circo
Ingressos a partir de 21,50 € a 76,50 € 
Site oficial http://www.alexis-gruss.com/accueil.html


E La Villette propõe do dia 15 de janeiro ao dia 17 de abril, très meses de circo para toda a família !

Vejam a programação

CIRQUE ZAMPANOS - "O meu pequeno circulo coxo do meu imaginário" - a partir de 4 anos
Do dia 15 de janeiro ao dia 06 de março  

CIRQUE AÏTAL - "Pelo melhor e pelo pior" - a partir de 6 anos
Do dia 15 ao 24 janvier

CENTRE NATIONAL DES ARTS DU CIRQUE - «com vista para a pista"…Avec vue sur la piste » - para todos
Do dia 27 de janeiro ao dia 21 fevereiro 

ATELIER PRATICAS DE CIRCO

BANG BANG ET ZOMBIE ZOMBIE - « Slow futur » - a partir de 10 anos
Do dia 26 de fevereiro ao 06 de março

NOVO CIRCO DO VIETNAM - « Àô Làng Phô » - para todos
Do dia  29 de março ao 17 de abril

IETO - « O instinto do desequilibrio » - para todos
Dias 12 e 13 de abril às 21h00

KURT DEMEY - « Evidencias desconhecidas » - a partir de 12 anos
Dias 13, 14 e 15 de abril às 19h00 

Endereço: 211, avenue Jean Jaurès, 19eme. arrond.
Metrô: Porte de la Villete linha 7 ou Porte de Pantin linha 5


sábado, 16 de janeiro de 2016

Nodaiwa um restaurante japonês em Paris


Para variar dos restaurantes japoneses bon marché (barato) da rue Sainte-Anne, recomendo o Nodaiwa na rua Faubourg Saint-Honoré, onde a especialidade são as enguias grelhadas (unagi うなぎ).

Desde o século XVII, os japoneses adquiriram o hábito de comer enguias, que apesar de ser um peixe oleoso e pouco apetitoso, eles criaram uma receita à base de molho à base de shoyu, de mirin, saké e açúcar, que depois são grelhados e retornados 16 vezes até ficarem caramelizados, que é uma delícia.  

Unaju 
Podem ser degustados em espetos ou fatias de unagi sobre uma camada de arroz dentro de uma caixa laqueada (unaju) ou em uma tigela (unadon).

Unadon 
No Japão, esses restaurantes especializados em enguias grelhadas é comum, sendo um prato simbólico que é consumido durante o verão, principalmente no dia 15 de agosto, considerado o dia mais quente do ano, permitindo assim restaurar as forças para suportar o calor.  

Enquanto que a matriz do restaurante Nodaiwa em Tóquio foi fundada no final do período Edo (1603-1867) e dirigida pela mesma família há cinco gerações, a filial em Paris existe desde 1996.

O ambiente do restaurante é decorado mais sobriamente, sempre está cheio, por isso é bom reservar.  

O Lunch Menu servido apenas no almoço de 2a. à 6a.feira custa 24 €, consiste numa enguia de 130g + chawanmushi (un flan salgado) + salada.
Os outros menus variam de 26 € a 75 €.

Nodaiwa : 272, rue Faubourg Saint-Honoré, no 1eme. arrond

Aberto de 2a.feira à sábado do meio-dia às 14h30 e das 19h00 às 22h00 



Bistrotters um bom endereço gastronômico em Paris


Bistrotters é um pequeno restaurante despretensioso numa rua perdida do 14eme. arrondissement de Paris, bem próximo da estação de metrô Plaisance da linha 13.
O proprietário François engavetou o diploma de engenheiro aeronáutico e juntamente com o chef Erwan, abriu esse pequeno restaurante em setembro de 2012. 
François, além da sua simpatia, tal como um bom  sommelier, ele propõe vinhos que harmonizam perfeitamente com os pratos. 
Ele também explica a composição de cada prato e para a sorte dos turistas, ele fala inglês. 
Enquanto que o chef Erwan prepara uma cozinha bistronomique, termo que nasceu da contração de duas palavras: bistrot e gastronomia, que se aplica a restaurantes pequenos que oferecem uma cozinha local e inventiva elaborada por produtos bons e simples à preços razoáveis (em torno de 30 €). 
Os pratos além de nos seduzirem esteticamente, são deliciosos, sempre feitos com produtos locais e frescos. 
Prato: cordeiro - foto: Miriam ATG
Bistrotters oferece duas opções :
Entrada + prato ou Prato + sobremesa custa 32 €
Prato: peixe Saint Pierre 
Entrada + prato + sobremesa custa 36 € 
Entrada: foie gras maison - foto: Miriam ATG

Como era o aniversário de um amigo, tiveram a gentileza de colocar uma vela na sobremesa dele.
Foto: Miriam ATG 

O sucesso é absoluto, tanto que para comer nesse pequeno bistrot que vive lotado, o melhor é fazer reserva, tendo que reconfirmar a reserva 48 horas e que o atraso permitido é de 15 minutos…
Aberto de 3a.feira à sábado
Almoço das 12h00 às 14h00
Jantar das 19h00 às 22h00
Bistrotters: 9, rue Decrès, 14eme. arrrond.

Telefone: (+33) 01 45 45 58 59 


quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

M. CHAT - Street Art em Paris

Foto do site 

M. CHAT (sempre escrito em letras maiúsculas) é um gato laranja de sorriso largo criado pelo artista  Thoma Vuille, em 1997. 

Pintado com tinta acrílica nos muros, estações de metrô, em locais inacessíveis...

O sorriso largo do gato, segundo Nora Monnet, representa "uma manifestação de benevolência ao destino universal, uma preposição poética aberta ao mundo". 

Thoma começou pintando seu gato nas paredes da sua cidade, em Orleans, principalmente no nível dos telhados, com o único objetivo de "transmitir mais humanidade e amor à cidade", pois considerava a cidade cinza e pouco ensolarada.

Em Strasbourg - foto do site
Seu personagem passa por uma variação constante, tanto que em 2003, M. Chat passou a ter asas brancas, sem nunca perder seu traço original. Sua simplicidade permite-lhe alcançar uma dimensão simbólica. 

Seu grafitismo apareceu nas cidades de Nantes, Tours, Rennes, Blois, Saint-Etienne, Paris, Londres, Viena, Genebra, Lisboa, Nova York…

Em Lisboa - foto do site 

Assinava suas obras com um misterioso M. CHAT até que em março de 2007, foi preso em flagrante pela policia municipal de Orleans quando pintava um muro, sendo obrigado a revelar sua identidade.

M. CHAT ganhou ainda mais popularidade por ter sido o fio condutor do filme "Chats Perchés" de Chris Marker (cineasta falecido em 2012, que nunca concedia entrevistas e nem se deixava fotografar, quando lhe pediam uma foto sua, ele dava a de um gato). 
Quando o filme foi  lançado em 2004, no Centre Georges Pompidou, um gigantesco M. CHAT foi pintado na praça em frente ao Centro GP. 
Na praça em frente ao Centre Georges Pompidou
foto do site 

Ele passa a trabalhar em parceria com a prefeitura de Orleans ou o Conselho Regional de Poitou-Charentes.
Essa evolução é algumas vezes interpretada como uma renuncia à abordagem crítica e a mercantilização da sua criação, que Thoma se defende dizendo que sua arte amadureceu e que após dez anos recebendo o RMI (ajuda mínima de inserção no mercado de trabalho), ele aspira ganhar a sua vida através do seu trabalho.

Se emancipando da Arte de Rua, a arte de Thoma Vuille toma outra dimensão, longe do mundo individualista do grafitismo,  com o objetivo de contornar a habitual relutância e compartilhar a arte com uma  cultura de proximidade. 

Reconhecido pelos líderes da cena européia da Art de Rua, como Franck Shepard Fairey, Bansky, Sapece Invader,  Thoma Vuille deseja aderir à outros movimentos menos marginalizados como a Pop Art ou Land Art.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Paris 2050, podemos imaginá-la ?


Outro dia me deparei com um livro "Paris 2050" do arquiteto Vincent Callebaut e achei interessante a forma futurista como ele vê a capital francesa daqui a 34 anos.
Sua arquitetura é sustentável, totalmente futurista e que dialoga com o meio-ambiente, projetos que visam fundir a biologia com a alta tecnologia da informação atendendo às pressões ambientais, as chamadas Ecópolis*. 
Vincent Callebaut projetou durante quatro meses esses protótipos de arranha-céus incríveis… 
"Paris Smart City 2050" parece certamente utópica, mas o projeto responde simplesmente ao pedido da Agência de Ecologia Urbana de Paris, apresentando protótipos de torres à energia positiva levando em conta as dificuldades futuras de Paris.
Imaginadas a partir de tecnologias existentes ou que ainda estão sendo estudadas em laboratórios, esses projetos restam contudo uma perspectiva.

Honeycomb Towers - Porte des Lilas 

A fim de aumentar a oferta de habitação em Paris, o "Honeycomb Towers" propõe dobrar da altura des HBM (habitação à bom marché) por uma arquitetura parasita que enxertas casas individuais uma à outra. 
Tal como o ninho de abelhas em com alcovas hexagonais, esse transplante urbano oferecerá aos novos moradores, as hortas e pomares suspensos, repatriar à cidade os benefícios de uma moradia rural. 
Estruturalmente, este colméia é suportada por uma estrutura metálica que desce as cargas verticalmente através de condutores de chaminés existentes que atravessam os edifícios.

Anti-smog Towers - Petite Ceinture 

Na linha férrea abandonada da pequena linha circular de Paris, uma antiga linha ferroviária de via dupla com 32 quilômetros de extensão, que fazia a volta em torno da cidade pela borda periférica, projeta-se os "Torres Anti-fumaça" que vêm renaturalizar o antigo traçado ferroviário transformando-a num pulmão verde com a integração de hortas comunitárias cultivadas pelos moradores. 
As pistas cicláveis e as hortas urbanas envolveriam verticalmente as torres ciclônicas, descontaminando o solo por fitorremediação e filtragem de fumaça atmosférica, graças à sua estrutura fotocatalítica em dióxido de titânio.

Bridge Towers - Pont Aval - 12eme. arrond. 

Com o objetivo de densificar a cidade com ecossistemas verticais habitados, o projeto "Bridge Towers" propõe a construção de duas pontes paisagísticas nas portas fluviais de Paris. 
Estas duas pontes com silhuetas de medusa emergindo das águas, ligará o 15eme.  e 16eme. arrond. (distritos) no oeste e nos 12eme. e 13eme. arrond. (distritos) à leste.
Duas torres gêmeas que se unem e re-personalizam extraordinariamente as duas pontes existentes do anel viário para revalorizar as duas vitrines de entrada da cidade pela via fluvial. Perfuradas por caténoïdes, as torres serão alimentadas pela energia elétrica graça às turbinas multi-blades, suplementadas por turbinas que utilizarão energia cinética do rio Sena.

Mangrove Towers - Gare du Nord 
Como o seu nome sugere, os "Mangrove Towers" serão inspirados pelos manguezais marítimos com suas pneumatophores e suas raízes de palafitas. 
Eles serão implantados diretamente nas margens da Gare du  Nord e serão ramificadas entre elas como um ecossistema resiliente às mudanças climáticas.
Estas torres acolherão um programa misto de escritórios, hotéis e habitações dedicados à uma clientela internacional e nômade. 
Uma verdadeira floresta de torres vegetais, esse manguezal urbano será à energia positiva, isto é, ela produzirá mais energia do que irá consumir (que esta energia seja elétrica, calorífico ou alimentar).
Farmscrapers Towers - Porte d'Aubervilliers 
O conceito de "Farmscrapers Towers" pretende repatriar a zona rural ao coração da cidade e reintegrar os métodos de produção de alimentos dentro dos locais de consumo. 
Bairros de cidades que são empilhados nas ilhotas mistas, os Farmscrapers densificarão o espaço urbano, maximizando a qualidade de vida de seus habitantes pela redução dos meios de transportes, a instalação de uma rede de automação residencial, a re-naturalização dos espaços e privados, e integração das energias renovável, como a biomassa, a metanização, a energia solar fotovoltaica, térmica e eólica.
Bamboo Nest Towers - Ensemble Masséna
O projeto "Bamboo NestTowers"  Ninho" visa naturalizar as treze torres do conjunto de Masséna construído no antigo terreno da fábrica Panhard & Levassor, ao longo da pequena linha circular de Paris. 
Em 2050, esse bairro também chamado de Villa d'Este, apresentará a maior concentração de torres mais altas de Paris, será um emblema da repatriação da agricultura urbana verticais no coração da capital.
Assim, torres de Puccini, Palermo, Rimini, Verdi, etc. ... serão envolvidos por um exoesqueleto de bambu trançado.

Vincent Callebaut nasceu na Bélgica (em 1977), graduou-se em arquitetura aos 23 anos pelo Instituto Victor Horta em Bruxelas, levando o Grande Prêmio de Arquitetura René Serrure pelo seu projeto parisiense "Metamuseum of Arts and Civilisations Quai Branly.
Graças à bolsa "Leonardo da Vinci" atribuída pela Comunidade Européia, decidiu viver em Paris para estender seu pensamento crítico e sua inventividade espacial durante dois anos de estágio em agências que o fascinam - Odile Decq Benoit Cornette Architectes Urbanistes e Massimiliano Fuksas.
Possui o seu próprio escritório de arquitetura em Paris, no n° 2 da Rue de la Roquette - Passage du Cheval Blanc, no bairro da Bastille, 11eme. arrond.

Nos últimos anos tem acumulado muitos prêmios internacionais pelos seus projetos.


Recentemente apresentou um projeto de uma cidade submarina na orla do Rio de Janeiro feita de lixo do oceano. Leiam o artigo da BBC

*Ecópolis serão cidades ou bairros de pelo menos 50.000 habitantes integrando uma elevada qualidade ambiental e as mais recentes tecnologias de comunicação. Eles servirão principalmente para fazer progredir maciçamente o planejamento global, serviços que terão como meta o crescimento sustentável, assim como a infra-estrutura de banda larga, de transportes tecnologicamente de ponta e edifícios "sustentáveis". Esses "espaços urbanos sustentáveis" deverão integrar emprego, habitação, qualidade de vida e diversidade social e implementação de recursos de energias renováveis: turbinas eólicas, painéis solares. Assim, eles desempenharão o papel de laboratórios na redução do consumo de água, da triagem do lixo,  o desenvolvimento da biodiversidade, da redução do consumo de ar condicionado, desenvolvimento de planos de água, a criação de espaços verdes (o equivalente a 20% da área da cidade), o amplo acesso gratuito às novas tecnologias de informação. Por fim,  deverão encorajar a diversidade social.

https://fortdissy.info/quest-ce-quune-ecopolis


segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Festival do Grafismo 2016 em Paris


Começou no dia 06 de janeiro, o 3°. Festival do Grafismo em Paris, serão cinco semanas com a participação de dezenas de designers gráficos em vários lugares da capital: exposições no Hôtel de Ville, na Cité Internationale des Arts, encontros e conferências, projeções de filmes…

O objetivo do festival é celebrar o design gráfico que consiste na produção de cartazes, embalagens, na ilustração de sites internet, enfim, algo tão visível no nosso cotidiano, mas pouco conhecido pelo público em geral.

Com destaque na exposição coletiva "Célébrer la Ville" sobre aspectos diversos: humano, geográfico, ecológico, cultural, artístico, identitário, arquitetural, espacial e notadamente social, societal e ambiental,  produzidos por 39 grandes nomes do designer gráfico franceses e  internacional:de 39 grandes nomes do designer gráfico franceses e  internacional e que serão expostas na avenue des Champs Elysées a partir do dia 20 de janeiro ao dia 02 de fevereiro:
Katsumi Asaba - Japão 
Atelier La Casse - França
Jan Bajtlik - Polônia  
André Baldinger e Toan Vu-Huu - França 
Peter Bankov - Russia
Marine Belkebir - França
Mark Bohle - Alemanha
Chae Byung-Rok - Coréia do Sul 
Paul Davis - Estados Unidos 
Studio Des Signes - França
El Fantasma De Heredia - Argentina
Sylvain Enguehard - França
Dieter Feseke - Alemanha 
Jeffrey Fisher - França/Australia
Formes Vives - França
Marta Gawin - Polônia 
Mono – Diego Grinbaum - Argentina
Fons Hickmann - Alemanha 
Andrew Howard - Portugal
Erica Jacobson - Suécia 
Sandy Karman - Indonésia
Gitte Kath - Dinamarca  
Sanghon Kim - França 
Lotta Kühlhorn - Suécia
Yann Legendre - França 
Check Morris - França 
Muzo - França 
Vaughan Oliver - Reino Unido 
Onaire. Colectivo Gráfico - Argentina 
Jean-Pol Rouard - Belgica
Hans-Jörg Seidler - Alemanha
Stephen Smith / Neasden Control Centre - Reino Unido 
Snask - Suécia 
Sheina Szlamka - França
Jean-Jacques Tachdjian - França 
David Tartakover - Israel 
Frédéric Teschner - França 
David Torrents - Espanha 
Alex Trochut - Espanha

Assim como uma programação de projeções e mesa redonda "Nuit du Générique" proposta pela associação "We Love Your Names" no dia 28 de janeiro, das 20h00 à meia-noite, no Majestic (2-4, Boulevard Richard Lenoir, 11eme. arrond.).

Confiram a programação do festival  

Um slogan único: conscientização e valorização do design gráfico pelo seu valor justo, revelando os talentos de ontem e de amanhã, que irradiam sua arte na vida cotidiana.



Para os amantes do cinema: Fondation Jérôme Seydoux-Pathé em Paris






A nova sede social da Fondation Jérôme Seydoux-Pathé inaugurada em setembro de 2014 no antigo Théatre des Gobelins (onde a fachada esculpida por Auguste Rodin em 1869), chama a atenção por causa da sua estrutura moderna (em alumínio, aço, madeira e vidro) em forma de casulo projetada pelo arquiteto italiano Renzo Piano.

Foto do site de Renzo Piano
Possui uma superfície de 2.200m2 distribuída em cinco andares que permite agrupar os escritórios da Fundação, os arquivos, um centro de documentação e de pesquisa, une DVDthéque, um espaço reservado às exposições e uma sala de projeção.   

Foto: Shoes-up.com

fundação se dedica à conservar e disponibilizar ao público o patrimônio histórico da Pathé (empresa produtora de cinema criada em 1896 pelos irmãos Charles e Émile Pathé, sendo a segunda mais antiga depois da Gaumont). 

Foto do site de Renzo Piano 

Também funciona como um centro de pesquisa para historiadores, professores e alunos, assim como a todos os interessados em cinema.
Através das suas atividades, a fundação trabalha em promover a história do cinema através da sua própria história.  

Foto do site da fondation JSP






Possui arquivos excepcionais, regularmente enriquecidos com novas aquisições, reúne diversas coleções. Eles incluem um rico conjunto de material iconográfico e publicitário, materiais impressos, equipamentos de cinema e adereços, objetos, uma biblioteca de obras e periódicos, bem como arquivos administrativos e jurídicos desde a sua criação. Até à data, o catálogo Pathé consiste de mais de 10.000 filmes, incluindo 9000 filmes mudos.

Fonte: demain-ma-maison.com 

Horários de funcionamento:
- Salle Charles Pathé et Expositions
  De 3a. a 6a.feira das 13h00 às 19h00
  Nos sábados das 11h30 às 19h00

- Visita guiada do local 
  Aos sábados ao meio-dia 
  Somente através de inscrição através de e-mail: accueil@fondationpathe.com

- Centro de pesquisa
  De 2a. à 6a.feira das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00
  Nas 6as.feiras das 10h00 às 13h00
  Acesso somente com hora marcada através de e-mail: 
  contact@fondationpathe.com

- Ciné-espetáculo "Le Petit Cinématographe"
  Todas as 4as.feiras às 14h30
  Inscrição não obrigatória, mas aconselhável 
  accueil@fondationpathe.com
  telefone 01 83 79 18 96

Foto: batiactu.com 


Tarifas:
Bilhete corta-fila (billet couplé) - 1 sessão de cinema + acesso ao espaço de exposições: 
Tarifa normal 6,50 € 
Tarifa estudante e para acima de 65 anos 5 €
Tarifa reduzida (menores de 14 anos): 4 €
Visita sem filme após 16h30: 3 €
Visita guiada  do local: 6 €
Ciné-espetáculo "Le Petit Cinématographe": 7 € 

Endereço: 
73, avenue des Gobelins - 13eme. arrond. - Paris
Metrô: Les Gobelins linha 7
Ônibus: 27, 47, 57, 64, 67, 83