Sempre tive uma grande paixão pelas viagens, em descobrir lugares novos, pessoas e costumes diferentes…


Ao longo dos últimos vinte anos viajei pelos cinco continentes, totalizando 35 países.


Foi viajando que encontrei a minha vocação. Me tornei guia de turismo no Rio de Janeiro, onde estudei e obtive a credencial nas categorias: regional, nacional e internacional pela Embratur.


Em 2000, me casei e acabei fixando residência em Paris. Aqui fiz vários cursos como História da Arte na Escola do Louvre, História da Arte Renascentista na Escola Superior de Artes Aplicadas Duperré, além de outros cursos livres sobre o patrimônio artístico de Paris: arquitetura, pintura, escultura, jardins, etc.


Sou oficialmente Guia de Turismo em Paris com carteira profissional emitida pelo Ministério do Turismo e da Cultura da França.


Assim com o olhar de uma viajante e de uma profissional da área, tenho oferecido meus serviços de acompanhamento, organização e consultoria para turistas brasileiros em Paris.


Bienvenue à Paris !


Miriam Tanno Girardot


segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Por que bebemos Champagne ?


Foto: Miriam T. Girardot 
O que alguns famosos disseram a respeito:

"Quando eu ganho, eu bebo champagne para celebrar... E quando perco, eu bebo para me consolar" - Napoleão  Bonaparte

"O champagne é o único vinho que aumenta a beleza da mulher" - Madame de Pompadour, amante do rei Louis XV

"Champagne, rei dos vinhos e o vinho dos reis" - Prince Orlofsky

O champanhe é geralmente servido no aperitivo ou na sobremesa, mas é o único vinho que pode ser servido desde o aperitivo até a sobremesa, em uma ocasião festiva.

• No aperitivo, o champanhe deve ser brut, de diversas variedades (cépages) e de uma certa idade. Se for para acompanhar entradinhas à base de frutos do mar ou de peixe, um champanhe branco (blanc des blancs). No verão, um champanhe semi-seco frutado e refrescante será bem apreciado.

• Entradas e pratos que você pode escolher um champanhe vintage (millésimé), de vários anos escolhidos pela sua qualidade, certamente será um vinho caro, mas de qualidade. O champanhe blanc de noirs, produzido unicamente de uvas Pinot Noir e (ou) Pinot Meunier, acompanha bem a carne vermelha, especialmente quando é servido com cogumelos. Se você servir um prato de peixe, ostras e foie gras, opte por um champanhe blanc de blancs, produzido exclusivamente com uvas brancas de uma das três variedades de uva de Champagne, o Chardonnay.

• Para a sobremesa: escolha um champanhe semi-seco ou um blanc de blancs, elaborado exclusivamente com a uva branca Chardonnay. Um champanhe rosé cai perfeitamente com frutas vermelhas, especialmente morangos.

Para os amadores, uma boa sugestão é visitar Reims, onde encontra-se a sede das grandes marcas de Champagne, como Veuve Clicquot, Pommery, Ruinart, Mumm, Taittinger... Um bate-e-volta de Paris à Reims, que fica há apenas 45 minutos de trem (TGV), saindo da estação "Gare de l'Est".
São 250km de caves de champagne e galerias subterrâneas do período galo-romano. Além da beleza da cidade com sua famosa Catedral de Notre Dame (Nossa Senhora) em estilo gótico, onde vários reis franceses foram coroados e o Palácio do Tau.
Centro Turistico de Reims clique aqui


Nenhum comentário: