quinta-feira, 26 de maio de 2016

Capela da N. Sra. da Medalha Milagrosa em Paris

Foto: Miriam ATG 
Atualmente, cerca de 2 milhões de peregrinos do mundo todo visitam anualmente a bela Capela da Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, em Paris.

Historia da Capela  

Desde 1813, o Palacete de Châtillon tornou-se a Casa-Mãe da Companhia das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo. 

As Irmãs construíram uma capela dedicada ao Sagrado Coração de Jesus. 
De fato, o selo da Companhia representa Jesus Cristo na Cruz com o Sagrado Coração inflamado de caridade, para significar que as Irmãs têm por vocação a caridade.

Em 1830, Catarina Labouré, que entrara a pouco na Comunidade, recebe a graça de ver São Vicente de Paulo. 
Durante todo o tempo do seu Seminário, ela vê o Cristo presente na Eucaristia, mas não recebe nenhuma mensagem específica. 

Nos dias 18 de julho, 27 de novembro e em dezembro de 1830, ela se encontra com a Santíssima Virgem que, na ocasião, entrega-lhe o modelo da Medalha Milagrosa. 
Desde então, milhões de peregrinos do mundo inteiro vêm se recolher nesta Capela.

Nesta Capela, escolhida por Deus, a Virgem Maria, em pessoa, veio revelar sua identidade através de um pequeno objeto, uma medalha, destinada a todos sem distinção!
A identidade de Maria era objeto de controvérsia entre teólogos, desde os primeiros tempos da Igreja. 

Em 431, o Concílio de Éfeso tinha proclamado o primeiro dogma marial: Maria é mãe de Deus. A partir de 1830, a invocação:
« O’ Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós » que sobe ao céu, milhares e milhares de vezes repetida por milhares e milhares de corações de cristãos do mundo inteiro, a pedido da própria Mãe de Deus, vai produzir seu efeito!

A 8 de dezembro de 1854, Pio IX proclama o dogma da Imaculada Conceição: por uma graça especial que lhe vinha da morte de seu Filho, Maria é sem pecado desde o começo de sua concepção.

Quatro anos mais tarde, em 1858, as aparições de Lourdes irão confirmar a Bernadette Soubirous, o privilégio da mãe de Deus.

Coração Imaculado, Maria é a primeira resgatada pelos méritos de Jesus Cristo. Ela é luz para nossa terra. Todos somos como a Virgem Maria, destinados à felicidade eterna.

Uma medalha, milagrosa… por quê?… luminosa em quê?… e dolorosa?


Luminosa…

As palavras e desenhos gravados no verso da medalha expressam uma mensagem sob três aspectos intimamente ligados.
« O Maria concebida sem pecado,rogai por nós que recorremos a vós ».

A identidade de Maria nos é revelada explícitamente aqui: a Virgem Maria é imaculada desde sua concepção. Desse privilégio que já lhe foi concedido pelos méritos da Paixão de seu Filho, Jesus, o Cristo, decorre a força poderosa de intercessão que ela exerce para com aqueles que a rogam. Eis por que, a Virgem Maria convida a todos os homens a recorrerem a ela nas dificuldades de sua vida.

Seus pés pisam uma metade da esfera e esmagam a cabeça de uma serpente. A semi-esfera é a metade do globo, é o mundo. A serpente, entre os judeus e cristãos, representa Satã e as forças do mal.

A Virgem Maria engaja-se no combate espiritual, o combate contra o mal, do qual o mundo é o campo de batalha. Ela nos chama a entrar, nós também, na lógica de Deus que não é a lógica do mundo. E esta a graça autêntica de conversão que o cristão deve pedir a Maria, para transmiti-la ao mundo.

Suas mãos estão abertas e seus dedos estão adornados com anéis revestidos de pedras preciosas, de onde saem raios que caem sobre a terra, ampliando-se para baixo.

O brilho desses raios, bem como a beleza e a luz da aparição, descritas por Catarina, chamam, justificam e alimentam nossa confiança na fidelidade de Maria (os anéis) para com seu Criador e seus filhos, na eficácia de sua intervenção (os raios de graça que caem à terra) e na vitória final (a luz) pois, Ela, primeira discípula, é a primeira resgatada.

Dolorosa…

A medalha traz no seu reverso uma inicial e desenhos que nos introduzem no segredo de Maria.

A letra « M » está encimada pela Cruz do Cristo.

Os dois sinais entrelaçados mostram a relação indissolúvel que liga o Cristo à sua Santíssima Mãe. Maria está associada à missão Salvífica da humanidade pelo seu Filho Jesus e participa pela sua compaixão no próprio ato do sacrifício redentor do Cristo.
Em baixo, dois corações, um contornado de uma coroa de espinhos, o outro transpassado por uma lança.

O coração coroado de espinhos, é o Coração de Jesus. Lembra o episódio cruel da Paixão do Cristo, narrado nos evangelhos, antes de sua morte. Significa sua Paixão de amor pelos homens.
Este coração transpassado por uma lança, é o Coração de Maria, sua Mãe. Lembra a profecia de Simeão contada nos evangelhos, no dia da Apresentação de Jesus no templo de Jerusalém, por Maria e José. Significa o amor do Cristo que invade Maria e seu amor por nós: pela nossa Salvação, Ela aceita o sacrifício do seu próprio Filho.
A aproximação dos dois Corações expressa que a vida de Maria é vida de intimidade com Jesus.

Doze estrelas estão gravadas ao redor da medalha.

Correspondem aos doze apóstolos e representam a Igreja. Ser Igreja, é amar o Cristo e participar de sua paixão pela Salvação do mundo. Cada batizado é convidado a associar-se à missão do Cristo, unindo seu coração aos Corações de Jesus e de Maria.

A medalha é um apelo à consciência de cada um, para que escolha, como o Cristo e Maria, o caminho do amor, até o dom total de si mesmo.

Horários dos ofícios litúrgicos

SEGUNDA: 
Abertura: das 7h45 às 13h e das 14h30 às 19h
Missas: 8h-10h30-12h30
Celebração: Terço às 15h30
Confissões : das 9h às 11h45 e das 15h às 18h
Vésperas: 18h50

TERÇA-FEIRA:
Abertura: das 7h45 até às 19h
Missas: 8h – 10h30 
Missas e Celebrações Marianas: 12h30 – 15h30 – 17h15 
Adoração: das 13h30 às 14h30 e das 18h15 às 18h45
Confissões : das 9h às 11h45 e das 15h às 18h
Vésperas: 18h50

QUARTA-FEIRA: 
Abertura: das 7h45 às 13h e das 14h30 às 19h
Missas: 8h – 10h30 – 12h30
Celebração: Terço às 15h30
Confissões : das 9h às 11h45 e das 15h às 18h
Vésperas: 18h50

QUINTA-FEIRA:
Abertura: das 7h45 às 13h e das 14h30 às 19h
Missas: 8h – 10h30 – 12h30
Celebração: Terço às 15h30
Confissões : das 9h às 11h45 e das 15h às 18h
Vésperas: 18h50

SEXTA-FEIRA:
Abertura: das 7h45 às 13h e das 14h30 às 19h
Missas: 8h – 10h30 – 12h30
Celebração: Via-Sacra às 15h30
Confissões : das 9h às 11h45 e das 15h às 18h
Vésperas: 18h50

SÁBADO: 
Abertura: das 7h45 às 13h e das 14h30 às 19h
Missas: 8h – 10h30 – 12h30
Missa antecipada do Domingo: às 17h15
Celebração: Terço às 16h
Confissões : das 9h às 11h45 e das 15h às 17h
Vésperas: 18h50

DOMINGO: 
Abertura: das 7h45 às 13h e das 14h30 às 19h
Missas: 8h-10h e 11h15
Celebração: Terço às 15h30
Não há confissões neste dia
Vésperas: 18h50

FERIADOS: 
(exceto feriados religiosos)
Abertura: 8h15 – 12h30 e 14h30 – 19h
Missas: 8h30-10h30
Celebração: Terço às 15h30
Não há confissões neste dia.
Vésperas: 18h50
Foto: Miriam ATG
Capela da Nossa Senhora da Medalha Milagrosa - site oficial 

No local existe uma loja que vende as medalhas, imagens, cartões postais, livros e broxuras em vários idiomas, inclusive em português.

Endereço: 140, rue du Bac 
Metrô: Sèvres Babylone linha 10 e 12

Foto: Miriam ATG 





Nenhum comentário:

Exposição NAPOLEÃO - 200 anos da morte de Napoleão

Foto: Miriam Girardot Por mais admirado e polêmico, Napoleão Bonaparte é uma figura complexa cuja vida oscila entre heroísmo e tragédia, vit...