quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Toda a memória do mundo: 4° Festival Internacional do filme restaurado em Paris


Durante cinco dias, do dia 03 ao dia 07 de fevereiro 2016, acontece o festival de descobertas de filmes restaurados e raros, de encontros e intercâmbios do patrimônio cinematográfico mundial.

No início de 2010, graças às novas tecnologias, a restauração de filmes foi amplamente desenvolvido, refinado, permitindo colocar em circulação de numerosas obras em proporções sem precedentes até agora. 

Toda a memória do mundo nasce neste contexto da  transição do cinema para a era digital.

Assim, durante toda a duração do festival, o público será convidado a descobrir o trabalho realizado pelos detentores de direitos, laboratórios e arquivos do mundo todo, para tornar acessível e preservar o patrimônio cinematográfico. 
Poderemos perceber o trabalho denso da restauração na França. 
Os esforços da CNC nesse sentido são consideráveis ​​e seu plano para digitalização e restauração sem equivalentes em outros lugares. 

Este ano o festival se abrirá mais amplamente do que nos festivais anteriores. Três salas da rede parisiense serão abertas para o festival: Les Fauvettes, Gobelins e a Fundação Jérôme Seydoux-Pathé. E Christine 21 no Quartier Latin. Totalizandode seis salas. 

Mais de 100 sessões serão oferecidas durante 5 dias, envolvendo inúmeros convidados: cineastas, atores, críticos e restauradores de filmes, farão com que o festival seja um lugar de encontros e trocas com o público.

A presença de dois grandes cineastas: Paul Verhoeven e Dario Argento, que renovaram profundamente o cinema nos anos de 1970. 

Filmes de Alfred Hitchcock, Jacques Tourneur, Vincente Minnelli estão incluídos no programa. 


Uma homenagem à uma grande produtora e distribuidora francesa, a Gaumont que celebrou o seu 120º aniversário em 2015. 

PROGRAMAÇÃO 
HOMAGEM À DARIO ARGENTO
Dario Argento é um mestre do giallo – a trilha à italiana – e do pavor. Seu cinema cultiva a violência grafica e a sofisticação formal, um tipo de maneirismo do final do século do terror cinematografico. 
Chat à neuf queues (Le) Dario Argento / Italie-République fédérale d'Allemagne-France / 1970 Sa 6 fév 18h45 Hors les murs
TECHNICOLOR, ANOS 40 E 50
EM 2015, o festival homenageia a Technicolor dos anos 1930. Apos o sucesso  do "O Vento Levou"  (1939), todos os grandes studios americanos se interessam pela Technicolor. Abrindo o periodo do "glorioso Technicolor », onde a cor torna-se o veiculo do sonho e o irreal. Serão apresentadas as copias Technicolor 35 mm de uma extrema raridade. 
Escola Sueca : Lirismo da Natureza
Do início dos anos 1910, na direção do produtor Charles Magnusson à Svenska, uma nova geração de cineastes vindos do teatro, como Mauritz Stiller etVictor Sjöström, se opõem às produções da época, as quais julgam mediocres e afirmam um estilo revolucionario. Os filmes apresentados são do acervo de Svenska Filminstitutet.
120 ANOS DA GAUMONT
Essa seção homenageia a empressa fundada por Léon Gaumont em 1895, onde a sua historia se mistura com a do cinema. Serão mostradas em copias restauradas alguns dos grandes filmes produzidos ou distribuídos pela Gaumont : dos pioneiros Louis Feuillade, Émile Cohl e Léonce Perret, Antoine e Antoinette de Jacques Becker, Le Plaisir de Max Ophuls. 
RESTAURAÇÕES E INCUNÁBULOS 
Uma seleção  de restaurações e de raridades, recentemente restauradas. E igualmente antes da estréia nas salas de cinema, o filme de Manoel de Oliveira filmado em 1982 por uma difusão postuma : La Visite.
LOUIS DELLUC, UM IMPRESSIONISTA
Louis Delluc, figura importante da primeira avant-garde francesa dos anos 1920, designada como "escola impressionniste", foi uma crítica visionária. Ele filma sete filmes, nos quais a utilização de decorações naturais permitiu romper com o lado psicológico pesado do cinema da época.
KAFKA VAI  AO CINEMA
Programação proposta por Hanns Zischler, em sua presença.
ENCONTROS, CONFERÊNCIAS, ESPETÁCULOS 

Nenhum comentário:

Longa conexão no aeroporto de Paris. O que fazer ?

Foto: Miriam Girardot Você está passando pelo CDG (Charles de Gaulle) ou Orly em Paris e terá que ficar mais de 8 horas para fazer a conexão...