Sempre tive uma grande paixão pelas viagens, em descobrir lugares novos, pessoas e costumes diferentes…


Ao longo dos últimos vinte anos viajei pelos cinco continentes, totalizando 35 países.


Foi viajando que encontrei a minha vocação. Me tornei guia de turismo no Rio de Janeiro, onde estudei e obtive a credencial nas categorias: regional, nacional e internacional pela Embratur.


Em 2000, me casei e acabei fixando residência em Paris. Aqui fiz vários cursos como História da Arte na Escola do Louvre, História da Arte Renascentista na Escola Superior de Artes Aplicadas Duperré, além de outros cursos livres sobre o patrimônio artístico de Paris: arquitetura, pintura, escultura, jardins, etc.


Sou oficialmente Guia de Turismo em Paris com carteira profissional emitida pelo Ministério do Turismo e da Cultura da França.


Assim com o olhar de uma viajante e de uma profissional da área, tenho oferecido meus serviços de acompanhamento, organização e consultoria para turistas brasileiros em Paris.


Bienvenue à Paris !


Miriam Tanno Girardot


quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

A rue de la Huchete em Paris e seus restaurantes gregos


Essa pequena rua estreita situada entre a Boulevard Saint-Michel e a rue du Petit-Pont, foi aberta no início do século 13, e quatro séculos mais tarde já era conhecida pelas suas tavernas e casas de assados. 


A rue de la Huchete já teve moradores ilustres como Napoleão Bonaparte que morou ali de julho à outubro de 1795.

O cantor franco-armeniano, Charles Aznavour morou quando seus pais tinham um restaurante "Le Caucase" no n° 23.

Até o tenista brasileiro Guga se hospedou no Hotel Mont Blanc no n° 28, segundo Mauricio Cardoso (na matéria publicada na Veja  em 11/06/97).

Saibam que antes de se tornar um lugar muito procurado pelos turistas, o bairro sempre foi dos estudantes por causa das escolas localizadas no Quartier Latin, por isso há tantas livrarias, cinemas, cafés e restaurantes.

Essa rua oferece uma vida noturna intensa com bares, o famoso clube de jazz "La Caveau de la Huchette" criado em 1948.


E o Théâtre de La Huchette que apresenta desde 1957 "A Cantora Careca" e "A Lição", de Eugene Ionesco, sucesso absoluto de público, lotando o teatro todas as noites há mais de 50 anos, contabilizando cerca de quase 18 mil apresentações.


E se a rue Sainte-Anne é conhecida como "Little Japan" ou "Little Tokyo", a rue de la Huchette é conhecida como a "Little Greek" por causa dos inúmeros restaurantes gregos que se ali instalaram.



Os restaurantes gregos oferecem pratos fartos como espetos (brochete) de carne de porco, carneiro, frango, salmão e outros frutos do mar, acompanhado por uma batata cozida, arroz e salada. Os preços começam a partir de 15 €. Até dá para dividir o prato em dois se você não come muito.


No cardápio também tem pratos típicos gregos como a moussaka, dolmades, tzatziki, saladas gregas, etc.


Os famosos "gyros", que são sanduíches feitos com pão (pita) recheado de carne no espeto assada verticalmente (chamamos de churrasco grego no Brasil), tomate, cebola e um molho grego (à base de iogurte e  pepino) e batata frita. A partir de 5 €.
  

Mas se você são é muito fã de comida grega há restaurantes de comida francesa, italiana, asiática, além das sorveterias Amorino e Häagen Dazs e uma padaria (boulangerie).


Aproveitando o grande fluxo de turistas, abriram-se algumas lojas de souvenir.

Fotos: Miriam T. Girardot

Nenhum comentário: