domingo, 22 de setembro de 2013

Village St-Paul, um lugar pouco conhecido pelos turistas


Fotos: Miriam ATG 
Entre a rue St-Paul e a rue des Jardins St-Paul, o "Village Saint-Paul" encontra-se em meio à pátios, lojas, galerias de artes, antiquários, restaurantes, prédios residênciais, etc.
O lugar é de uma tranqüilidade absoluta. 
Sua existência remonta ao Século VII, quando, em 630, Saint-Eloi tesoureiro e ministro de Dagoberto 1° fundou um mosteiro de freiras dedicadas à Saint-Martial na Ile de la Cité. Depois, em 635, ele construiu na margem direita do Sena, a Basílica dedicada a Saint-Paul, que pode ser definida como o embrião do Village Saint-Paul. 
Escolhida por Carlos V como lugar de residência em 1360, a Village Saint-Paul tornou-se a paróquia dos reis da França 1361-1559.
Essa muralha tinha a forma de um coração, e protegia 253 hectares, muitos espaços desabitados, campos, prados e vinhedos.
A cada 70 metros, uma torre de 9 m de altura e com espessura de 3m na base.
Portas e portas falsas permitiam o acesso à cidade.
Alguns séculos depois, o muro de Charles V e as fortificações de Philippe Auguste desapareceram, exceto em alguns lugares.
Aqui é o fragmento mais longo e mais bem preservado da muralha localizada na rue Charlemagne.
Foto: Miriam ATG
Fragmentos da muralha de Philippe AugusteRestos da torre Montgomery  
Porta falsa Saint-Paul (ou porta do ladrão, porta da traição, ou porta falsa, que na arquitectura militar, é uma porta secundária, dissimulada nas muralhas de um castelo ou fortaleza, conduzindo para o exterior, permitindo aos ocupantes das instalações, sair ou entrar sem atrair as atenções e nem serem vistos), construída no fim do século 12.
Foto: Miriam ATG 
Atualmente, ao lado da muralha encontra-se uma quadra esportiva municipal. No fundo, a Igreja Saint-Paul-Saint-Louis. Essa igreja foi construída no século XVII pelos arquitetos jesuítas Étienne Martellange e François Derand, por ordem do rei Louis XIII. A entrada dela é pela rua St-Antoine. A colônia japonesa católica em Paris freqüenta essa igreja.
Aqui também encontra-se o Lycée Charlemagne, onde era a casa dos jesuítas em Paris, construída no século XVII.

Foto: Miriam ATG 
Le Rei Carlos Magno - O Rei dos Francos - Imperador do Ocidente
Nascido em 742, filho do Pepino O Breve.
Quando ele subiu ao trono em 768, ganha o título de Charles Le Grand, ou em latim, Carolus Magnus: Charlemagne ! 
Ele transformou a Europa em um imenso reino. Estabeleceu um governo sólido e organizado, encorajou as artes, a cultura e a educação. Nessa época, já existia escolas nos conventos para as crianças de famílias ricas. Ele encorajou a multiplicação de escolas para também instruir as crianças pobres. Seu reinado durou 46 anos.
Carlos Magno apóia a Igreja e difundiu a religião católica. Em 800, o Papa recompensa o rei, consagrando-o imperador.
Duplamente grande por seu bom reinado que durou 46 anos, assim como pela sua altura estimada em 1,92m, bem acima da época, quando a altura média dos homens era de 1,69m !
Foto: Miriam ATG 
Essa estatua do Carlos Magno encontra-se em frente da Catedral Notre Dame de Paris.

Fotos: Miriam T. Girardot



Nenhum comentário:

Foto: Geraldo Bubniak/AEN Depois de 18 meses, as fronteiras francesas e de outros países europeus começaram a abrir aos turistas brasileiro...