Sempre tive uma grande paixão pelas viagens, em descobrir lugares novos, pessoas e costumes diferentes…


Ao longo dos últimos vinte anos viajei pelos cinco continentes, totalizando 35 países.


Foi viajando que encontrei a minha vocação. Me tornei guia de turismo no Rio de Janeiro, onde estudei e obtive a credencial nas categorias: regional, nacional e internacional pela Embratur.


Em 2000, me casei e acabei fixando residência em Paris. Aqui fiz vários cursos como História da Arte na Escola do Louvre, História da Arte Renascentista na Escola Superior de Artes Aplicadas Duperré, além de outros cursos livres sobre o patrimônio artístico de Paris: arquitetura, pintura, escultura, jardins, etc.


Sou oficialmente Guia de Turismo em Paris com carteira profissional emitida pelo Ministério do Turismo e da Cultura da França.


Assim com o olhar de uma viajante e de uma profissional da área, tenho oferecido meus serviços de acompanhamento, organização e consultoria para turistas brasileiros em Paris.


Bienvenue à Paris !


Miriam Tanno Girardot


segunda-feira, 13 de março de 2017

A Street Art de Shepard Fairey em Paris

Foto: Miriam ATG
Shepard Fairey (nascido em 1970), mais conhecido como Obey, é um artista americano, designer gráfico, serigrafista, muralista e ilustrador.

O seu trabalho tonou-se conhecido mundialmente depois da campanha presidencial americana de 2008, com a criação do poster "Hope" de Barack Obama. 

Desde então, Obey tem pintado freqüentemente grandes muros, cobrindo fachadas de prédios com imagens carregadas de críticas sociais ou políticas. 

O Instituto de Arte Contemporânea de Boston o considera como um dos artistas do Street Art mais influente do momento.

Obey realizou o mural acima "Liberdade, Igualdade, Fraternidade" em junho do ano passado. 

Ele se inspirou de um cartaz que fez após os ataques de 13 de Novembro, em homenagem às vítimas. 

O retrato desta Marianne (símbolo da República Francesa), é uma reutilização de uma antiga imagem mais conhecida como "Make Art Not War" (Faça arte, não guerra).  

Logo após os ataques de 13 de Novembro 2015, a bandeira francesa foi mostrado em todas as partes do mundo, e alguns dos seus amigos franceses lhe disseram que era a primeira vez que uma tal unidade diante dessa bandeira tornou-se um símbolo sem qualquer conotação fascista ou imperialista. 

Nos Estados Unidos, ele havia feito a mesma coisa criando a sua própria versão da bandeira americana. Sendo um grande fã de Jasper Johns, ele  queria falar sobre a grande diversidade que existe na América e impedir que os conservadores se apropriassem de um símbolo que pertence a todos. 

Obey aprecia a idéia de que o senso dos símbolos possa mudar de acordo com os indivíduos e o que eles fazem. 

A bandeira francesa aqui pode ser vista como um símbolo do nacionalismo, mas especialmente como um símbolo de apoio internacional e da unidade. Era o que ele queria compartilhar com a França.

O mural foi pintado em junho do ano passado.

186, rue Nationale -  Metrô Nationale  linha 6 

Foto: Miriam ATG 
A primeira obra de Obey em Paris, intitulada "Rise Above Rebel" terminada em 17 de junho 2012, após 03 dias de trabalho, com a ajuda de três assistentes e dois guindastes. 

Esse mural em 40 metros de altura, a mais alta que ele havia feito até esse momento.

Essa obra representa uma mulher, vitima da opressão que resiste e a excede. Um símbolo forte para o povo. 

93, rue Jeanne d'Arc  -  metrô: Nationale  linha 6

Foto: Miriam ATG 
Entre duas pancadas de chuva, em junho 2016, ele conseguiu terminar o mural "Delicate Balance - Balanço Delicado" inspirado no Globo Earth Crisis que foi colocado na Torre Eiffel durante a COP21 (conferência  mundial sobre o clima).

Na rue Jeanne d'Arc, n° 60  -  metrô Nationale linha 6






Nenhum comentário: