Sempre tive uma grande paixão pelas viagens, em descobrir lugares novos, pessoas e costumes diferentes…


Ao longo dos últimos vinte anos viajei pelos cinco continentes, totalizando 35 países.


Foi viajando que encontrei a minha vocação. Me tornei guia de turismo no Rio de Janeiro, onde estudei e obtive a credencial nas categorias: regional, nacional e internacional pela Embratur.


Em 2000, me casei e acabei fixando residência em Paris. Aqui fiz vários cursos como História da Arte na Escola do Louvre, História da Arte Renascentista na Escola Superior de Artes Aplicadas Duperré, além de outros cursos livres sobre o patrimônio artístico de Paris: arquitetura, pintura, escultura, jardins, etc.


Sou oficialmente Guia de Turismo em Paris com carteira profissional emitida pelo Ministério do Turismo e da Cultura da França.


Assim com o olhar de uma viajante e de uma profissional da área, tenho oferecido meus serviços de acompanhamento, organização e consultoria para turistas brasileiros em Paris.


Bienvenue à Paris !


Miriam Tanno Girardot


quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Exposição sobre a Comuna de Paris


Para marcar o 145º aniversário da revolta popular de 1871, uma exposição sobre as grades do Hôtel de Ville, mostrando a história do movimento operário da República e de Paris, através da reprodução de documentos e imagens da época.

Há 145 anos atrás, na primavera de 1871, os bairros populares parisienses se revoltam de uma forma inédita de governo democrático: a Comuna de Paris.

Paris sitiada, Paris resiste
Em setembro de 1870, a Prússia derrota a França de Napoleão III em Sedan. A República é proclamada, mas a metade do Norte da França é invadida e a capital é sitiada. Enquanto Paris conhece a fome e o frio, o povo de Paris resisti, luta e se organiza na Guarda Nacional.

Paris se rebela no dia 18 de março de 1871. 
A Assembléia Nacional eleita em fevereiro, é dominada pelos notáveis hostis à República. Com desconfiança sobre Paris, que votou massivamente pela República Republica, optaram por se instalar em Versalhes. O governo de Adolphe Thiers pretende acabar com a revolta da cidade e sua Guarda Nacional. Em 18 de março, ele quer recuperar as armas instaladas em Montmartre. Ele enfrenta a resistência do povo de Paris. A cidade é coberta com barricadas. À noite, o Comitê Central da Guarda Nacional se instala no Hôtel de Ville. Começa a Comuna!

Um governo do povo, pelo povo, para o povo  
A Comuna sonhava com um governo do povo, pelo povo, para o povo. O ideal de democracia "intervenção permanente dos cidadãos nos assuntos municipais."

As políticas implementadas pelo Município são diversas: habitação para todos, constituir uma "República democrática e social" se preocupando com o respeito pelo trabalhador, pela sua dignidade no trabalho, fornecer um lugar para as mulheres na sociedade,  incluindo notadamente o seu direito ao trabalho, igualdade salarial  igual como os homens, e a promoção da educação das meninas. A Comuna tem como princípio absoluto a liberdade, promover a educação e o laicismo.

A experiência é breve e termina em um banho de sangue. Mas sua memória marcou a longo prazo a luta do movimento operário e da República.

Essa exposição propõe descobrir através de numerosos documentos, imagens e quadros,  essa parte única da história da França e de Paris.

Local: Hôtel de Ville, rue de Rivoli
Metrô: Hôtel de Ville linha 1 e 11
Data: 12 outubro ao 26 novembro 2016



Nenhum comentário: