Sempre tive uma grande paixão pelas viagens, em descobrir lugares novos, pessoas e costumes diferentes…


Ao longo dos últimos vinte anos viajei pelos cinco continentes, totalizando 35 países.


Foi viajando que encontrei a minha vocação. Me tornei guia de turismo no Rio de Janeiro, onde estudei e obtive a credencial nas categorias: regional, nacional e internacional pela Embratur.


Em 2000, me casei e acabei fixando residência em Paris. Aqui fiz vários cursos como História da Arte na Escola do Louvre, História da Arte Renascentista na Escola Superior de Artes Aplicadas Duperré, além de outros cursos livres sobre o patrimônio artístico de Paris: arquitetura, pintura, escultura, jardins, etc.


Sou oficialmente Guia de Turismo em Paris com carteira profissional emitida pelo Ministério do Turismo e da Cultura da França.


Assim com o olhar de uma viajante e de uma profissional da área, tenho oferecido meus serviços de acompanhamento, organização e consultoria para turistas brasileiros em Paris.


Bienvenue à Paris !


Miriam Tanno Girardot


quarta-feira, 29 de junho de 2016

Proibição da circulação em Paris de veículos matriculados antes de 1997


A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, anunciou que a partir do dia 1° de julho 2016, os veículos matriculados antes de 1997 não serão mais autorizados a circularem em Paris, assim como as motos matriculadas antes de 2000. 

Entre 2017 e 2020, a proibição se tornará total para alguns veículos e será estendido para os modelos mais recentes, de carros a diesel registrados antes de 2011.

Em cinco anos, apenas os veículos com pastilha poderão circular na capital, afirmou também Anne Hidalgo.

Isso me faz lembrar quando Londres começou a cobrar um pedágio urbano em 2003,  com o mesmo objetivo que deseja a prefeita de Paris:  incentivar a população a usar o transporte público, veículos mais limpos, bicicletas, motocicletas ou caminhar, reduzindo o engarrafamento e permitindo uma circulação mais rápida, menos poluente. 

Em 2011, um estudo realizado pela Health Effects Institute não conseguiu provar evidências de um impacto positivo do pedágio urbano na qualidade do ar de Londres.

Na verdade, esse sistema afeta as classes mais desfavoráveis que as ricas, já que por aceder o centro da capital se paga 11,50 libras sem levar em conta o modelo e tamanho do veiculo.

O que a Prefeitura de Paris impõe com essa nova lei é que a população troque seus veículos por mais novos, o que certamente a população menos favorizada não poderá fazer. 

O video abaixo em francês é uma sátira e uma forma de protestar contra a lei Hidalgo.



Nenhum comentário: