Sempre tive uma grande paixão pelas viagens, em descobrir lugares novos, pessoas e costumes diferentes…


Ao longo dos últimos vinte anos viajei pelos cinco continentes, totalizando 35 países.


Foi viajando que encontrei a minha vocação. Me tornei guia de turismo no Rio de Janeiro, onde estudei e obtive a credencial nas categorias: regional, nacional e internacional pela Embratur.


Em 2000, me casei e acabei fixando residência em Paris. Aqui fiz vários cursos como História da Arte na Escola do Louvre, História da Arte Renascentista na Escola Superior de Artes Aplicadas Duperré, além de outros cursos livres sobre o patrimônio artístico de Paris: arquitetura, pintura, escultura, jardins, etc.


Sou oficialmente Guia de Turismo em Paris com carteira profissional emitida pelo Ministério do Turismo e da Cultura da França.


Assim com o olhar de uma viajante e de uma profissional da área, tenho oferecido meus serviços de acompanhamento, organização e consultoria para turistas brasileiros em Paris.


Bienvenue à Paris !


Miriam Tanno Girardot


sábado, 26 de setembro de 2015

Dia 27 de setembro, Paris sem carro

Verde bandeira: setor sem circulação de veículos  
Verde abacate: setor limitado a 20km/h  

Eu gosto particularmente do domingo de manhã em Paris, que é a única manhã calma da semana, quando os parisienses fazem a "grasse matinée" (acordam tarde).

Assim, o trânsito começa a ficar movimentado a partir das 11h00.

Mas amanhã, dia 27 de setembro, é o dia de "Paris sem carro"  das 11h00 às 18h00. 

Como em novembro, Paris sediará o COP21 - Conferência das Nações Unidas sobre as mudanças climáticas, a prefeitura local criou esse dia sem carro para tornar o espaço publico menos poluído, mais agradável e calmo, reduzindo a circulação de automóveis, desenvolvendo outros meios de mobilidade e reinventando nossa maneira de viver.   

Se houvesse realmente uma vontade de diminuir a poluição, deveriam melhorar e baixar o preço do transporte publico, ou mesmo, seguir o exemplo de três cidades francesas (Aubagne, Châteauroux e Libourne), onde o transporte publico é gratuito. 

E mesmo o batobus usados pelos turistas em Paris, seria mais uma solução prática e simpática de se locomover se as tarifas fossem mais convidativas do que o passe de 1 dia que custa 16 €…


Nenhum comentário: