Sempre tive uma grande paixão pelas viagens, em descobrir lugares novos, pessoas e costumes diferentes…


Ao longo dos últimos vinte anos viajei pelos cinco continentes, totalizando 35 países.


Foi viajando que encontrei a minha vocação. Me tornei guia de turismo no Rio de Janeiro, onde estudei e obtive a credencial nas categorias: regional, nacional e internacional pela Embratur.


Em 2000, me casei e acabei fixando residência em Paris. Aqui fiz vários cursos como História da Arte na Escola do Louvre, História da Arte Renascentista na Escola Superior de Artes Aplicadas Duperré, além de outros cursos livres sobre o patrimônio artístico de Paris: arquitetura, pintura, escultura, jardins, etc.


Sou oficialmente Guia de Turismo em Paris com carteira profissional emitida pelo Ministério do Turismo e da Cultura da França.


Assim com o olhar de uma viajante e de uma profissional da área, tenho oferecido meus serviços de acompanhamento, organização e consultoria para turistas brasileiros em Paris.


Bienvenue à Paris !


Miriam Tanno Girardot


quinta-feira, 8 de maio de 2014

Instituto do Mundo Arabe em Paris e suas exposições temporárias


Nos prédios do IMA - Instituto do Mundo Árabe encontra-se o museu de civilizações e exposições temporárias, mas não é somente um museu, o instituto oferece uma ampla gama de atividades variadas, como aulas de árabe, conferências, cinema, concertos, danças, oficinas, passeios guiados, etc…  
Em um terreno próximo à beira do Sena, perto do antigo portão de St. Bernard, onde havia sido construído no século XII, a abadia de Saint-Victor, e depois no século XVI, o mercado do vinho, atualmente encontram-se  a Universidade Jussieu e do Instituto do Mundo Árabe. O IMA foi projetado pelos arquitetos Jean Nouvel (o mesmo que projetou o Museu do Louvre em Abu Dhabi), Gilbert Lezenes, Pierre Sora e o Arquitetura Studio. 
Um edifício único, com sua arquitetura moderna, mas que apresenta também uma síntese alegórica entre a concepção arquitetônica do Oriente e do Ocidente. Apesar da aparência modernista de vidro e alumínio utilizado, uma série de elementos arquitetônicos da tradição oriental são reinterpretados, como os moucharabiehs da fachada, o pátio interior (ryad) e a torre de livros (ziggourat).  
A fachada sul é composta de 240 moucharabiehs, cujo mecanismo é acionado eletronicamente. O diafragma de abertura é ajustada a cada hora paar se adaptarem à luz externa e criar um jogo de luz ao interior do edifício. 
Institut du Monde Arabe: 1, rue des Fossés-Saint-Bernard
Aberto de 3a.feira à domingo. 
Funciona das 10h00 às 18h00.
Nos finais de semana e feriados - das 10h00 às 19h00
Visita noturna às 6as.feiras - das 10h00 às 21h30 
Ingressos:
Tarifa normal: 8 €
Tarifa reduzida para grupos a partir de 6 pessoas: 6 € 
Tarifa para jovens até 25 anos que não pertencem à Comunidade Européia: 4 €
Metrô: 
Estação Cardinal Lemoine  -  linha 10   -   saída (sortie) n° 2
Estação Jussieu  -  linha 7  - saída (sortie) n° 1  -  6 minutos a pé

Fotos: M. T. Girardot 
A exposição temporária "Hajj, a peregrinação à Meca" organizada pelo IMA e a Biblioteca Nacional do Rei Abdulaziz (da Arabia Saudita), começou no dia 23 de abril e termina no dia 10 de agosto de 2014, no nível 1 e 2. 
A peregrinação à Meca chamada de Hajj, é um dos cinco pilares do Islã, juntamente com a profissão da fé (shahada), a oração, o jejum do mês de Ramadã  e a esmola (zakat). O Hajj edeve ser feito em uma data especifica, no mês de dhu al-hijjah do calendário lunar do Islã. Praticado há mais de quinze séculos, o Hajj é uma ocasião de um encontro religioso, mas também social e cultural, de milhões de muçulmanos de todas as origens étnicas e geográficas. 
A exposição tem como objetivo apresentar a peregrinação à Meca em suas diversas dimensões e através de sua evolução histórica. Experiência mística individual, a meditação religiosa, fonte de inspiração artística e intercâmbio cultural, as múltiplas facetas da peregrinação são apresentados ao público através de arte medieval, manuscritos e objetos, aparatos de tecidos e  oferendas. A dimensão contemporânea é amplamente presente, com o olhar de artistas sauditas na peregrinação, numerosos projetos arquitetônicos de lugares santos e a palavra dos peregrinos. O olhar ocidental não é esquecido : pintores orientalistas, viajantes e cronistas que foram questionados por este acontecimento único do Islã, cruzando temas comuns às duas civilizações : o universalismo de Abraão em relação ao outro. A exposição convida o público a descobrir esta prática ancestral, mas sempre viva.

Ingresso da exposição : 8,50 € a 10,50 € (fora a taxa de reserva) - gratuito para crianças menores de 16 anos. 
No dia 17 de maio, acontece a Noite Européia dos Museus, essa exposição será acessível ao publico até a meia-noite com tarifa de 8,50 €. 
A outra exposição 'Il était une fois l'Orient Express" - Era uma vez o Oriente Express, teve inicio no dia 04 de abril com  fim previsto no dia 31 de agosto 2014.
Uma exposição dividida em duas partes, uma no interior do IMA e a outra no pátio, onde podemos visitar os quatro vagões de trem, sendo o último um vagão-restaurante, instalados numa plataforma reconstituída. Podemos descobrir a atmosfera luxuosa que acompanhava o viajante ao longo do seu périplo na sua descoberta ao Oriente.  No interior do IMA, a exposição mostra objetos e documentos de arquivos, cartazes filmes, documentos e fotografias, sendo que algumas estão expostas nos vagões de trem. Essa exposição nos permite de compreender a origens do Oriente Express através da personalidade do seu inventor Georges Nagelmackers, mas também dos seus aspectos técnicos, sociais e culturais. As questões relacionadas à dimensão geopolítica do Oriente Express são igualmente desenvolvidas, através das várias rotas do trem e as conexões permitiam, de Istambul chegar à Aleppo, Damasco, Beirute, Bagdá, Cairo, Luxor, Aswan… 
Ingressos: 8,50 € a 10,50 €

Nenhum comentário: