Sempre tive uma grande paixão pelas viagens, em descobrir lugares novos, pessoas e costumes diferentes…


Ao longo dos últimos vinte anos viajei pelos cinco continentes, totalizando 35 países.


Foi viajando que encontrei a minha vocação. Me tornei guia de turismo no Rio de Janeiro, onde estudei e obtive a credencial nas categorias: regional, nacional e internacional pela Embratur.


Em 2000, me casei e acabei fixando residência em Paris. Aqui fiz vários cursos como História da Arte na Escola do Louvre, História da Arte Renascentista na Escola Superior de Artes Aplicadas Duperré, além de outros cursos livres sobre o patrimônio artístico de Paris: arquitetura, pintura, escultura, jardins, etc.


Sou oficialmente Guia de Turismo em Paris com carteira profissional emitida pelo Ministério do Turismo e da Cultura da França.


Assim com o olhar de uma viajante e de uma profissional da área, tenho oferecido meus serviços de acompanhamento, organização e consultoria para turistas brasileiros em Paris.


Bienvenue à Paris !


Miriam Tanno Girardot


quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Bateaux-Mouches em Paris


Foto: Miriam T. Girardot 

O termo "bateau-mouche (no plural bateaux-mouches) existia no século XIX para designar as embarcações que tinham apenas uma finalidade utilitária e que servia somente para transportar mercadorias e eventualmente passageiros de um lugar para outro, em vários rios e canais.

Estes barcos nunca haviam sido utilizados para passeios à partir de um local para ir e voltar, com um objetivo turístico.

Foi a partir da Exposição Universal de 1867, que os primeiros barcos fizeram a sua entrada no capital.

Como resultado de um concurso lançado pelos organizadores da exposição, o construtor naval Michel Félizat de Lyon (associado à outros lioneses) ganhou o prêmio e enviou uns trinta exemplares de seus navios de passageiros construídos em suas oficinas localizadas no bairro do Mouche, mosca em francês, daí o nome.

Ao sul de Lyon (do lado de Gerland). A exploração destas embarcações já tinha começado em Lyon, em dezembro de 1862 à 1913 , a " Compagnie des Bateaux Mouches " operavam a linha de transportes de passageiros entre "La Mulatière" e "Vaise" com cinco navios. Em Paris, a única linha da empresa Bateaux - Omnibus transportou mais de 2,5 milhões de passageiros durante exposição.

Após a Segunda Guerra Mundial, quando o transporte fluvial de passageiros desapareceu em favor do transporte terrestre, Jean Bruel (1917-2003), fundador da Compagnie des Bateaux Mouches, adquiriu um dos últimos barcos que foram construídos para a Exposição Universal, a fim de proporcionar passeios turísticos ao longo do Sena. Este novo conceito, Jean Bruel criou uma nova atividade, patenteando a marca " Bateaux Mouches ", em 1950. Ele ficou mais conhecido como Jean-Sébastien Mouche, foi o fundador de um novo segmento turístico que atrai milhões de turistas à cada ano.

Existem várias companhias que oferecem os passeios de barco pelo Sena com duração de 1 hora.

Bateaux Mouches clicar aqui

Bateaux Parisien clicar aqui

Bateaux Vedettes de Paris clicar aqui

Bateaux Vedettes du Pont de Neuf clicar aqui

Tarifa entre 12,50 à 14 €.

Algumas companhias oferecem vários tipos de passeios com almoço, jantar, degustação de champanhe, crepe, etc…

O que sempre recomendo é fazer o passeio antes do anoitecer, assim você verá Paris durante o dia e depois ela completamente iluminada, um passeio maravilhoso !

2 comentários:

A senhora disse...

Foi uma ótima idéia esses barcos no Rio Sena, porque fica mais incrível ainda a cidade, ainda mais no entardecer.

cristiane disse...

fizemos o passeio de bateaux no horário indicado pela guia 8:30
maravilhoso pois vimos as luzes de Paris suavemente aparecendo lindooo!