Sempre tive uma grande paixão pelas viagens, em descobrir lugares novos, pessoas e costumes diferentes…


Ao longo dos últimos vinte anos viajei pelos cinco continentes, totalizando 35 países.


Foi viajando que encontrei a minha vocação. Me tornei guia de turismo no Rio de Janeiro, onde estudei e obtive a credencial nas categorias: regional, nacional e internacional pela Embratur.


Em 2000, me casei e acabei fixando residência em Paris. Aqui fiz vários cursos como História da Arte na Escola do Louvre, História da Arte Renascentista na Escola Superior de Artes Aplicadas Duperré, além de outros cursos livres sobre o patrimônio artístico de Paris: arquitetura, pintura, escultura, jardins, etc.


Sou oficialmente Guia de Turismo em Paris com carteira profissional emitida pelo Ministério do Turismo e da Cultura da França.


Assim com o olhar de uma viajante e de uma profissional da área, tenho oferecido meus serviços de acompanhamento, organização e consultoria para turistas brasileiros em Paris.


Bienvenue à Paris !


Miriam Tanno Girardot


segunda-feira, 15 de maio de 2017

Fête de la Bretagne - Festa da Bretanha 2017 em Paris


Entre 1863 e 1865, com a abertura da ferrovia Paris-Nantes-Quimper e Paris-Brest, facilitou o êxodo rural de bretães à Paris.

A Gare de Montparnasse é a estação de trem de chegada na capital, onde a grande maioria de bretães acabam se instalando, que acabou se tornando a pequena Bretanha. 

Se hoje os bretães estão presentes em todos as classes sociais, quando chegaram em Paris no século 19, eram mão de obra barata - "pau pra toda obra", com uma escolaridade muito baixa, além de falarem somente o dialeto bretão, pois o aprendizado da língua francesa passou a ser obrigatória nas escolas da Bretanha somente em 1930.

Hoje calcula-se que haja mais de um milhão de bretães, sejam aqueles nascidos na Bretanha ou filhos de bretães, que acabaram se espalhando por toda a região: St-Denis, Meudon, Poissy. 

Assim, a presença de bretães no bairro de Montparnasse ficou menos acentuada do que no passado, mas ainda hoje, existem muito comércio e associações de bretães.

Essas associações juntamente com as prefeituras do 14eme e 15eme arrondissement, organizam anualmente a festa de Santo Yves (dia 19 de maio), que é o padroeiro da Bretanha.
Esse evento é comemorado em 153 cidades de todo o mundo, onde existe uma comunidade de imigrantes bretães.

A "Fête de la Bretagne - Festa da Bretanha 2017" em Paris, começou no 15 de maio.

Dia 17 de maio - 4a.feira:

16h00 às 17h00 - aula de dança gratuita para os pequenos com a professora de dança Sylvie Minard, na Place Edgar Quinet

Dia 18 de maio - 5a.feira:

As ruas comerciais de Odessa e Montparnasse serão fechadas aos veículos, assim as creperias colocarão mesas nas calçadas. 

20h30: concerto gratuito com os Ramoneurs de Menhirs e músicos e cantores da Mission Bretonne, na Place Edgar Quinet.


Dia 20 de maio:

11h30 - Espetáculo "La Breizh Parade", um grande desfile com 250 músicos e dançarinos com seus costumes tradicionais celtas da região parisiense, Bretanha, Escócia e a Galicia, entre a rue Lecourbe e o Boulevard Garibaldi e a Mairie do 15eme arrond.

12h00 às 18h00 - uma feira com produtos artesanais e comestíveis da região da Bretanha, exposição de fotos dos 70 anos da Misson Bretonne, na Place Jacques Demy e no Square Ferdinand Brunot, no 14eme arrond.

14h30 às 17h30 - ateliê de pintura para crianças

15h00 - apresentação de dança infantil

19h00 às 2h, a Fest-Noz - que no dialeto breton significa "festa noturna", com vários grupos de musica e orquestra, na Sala de Festas do 14eme arrond, na rue Pierre Castagnou, n° 12, preço do ingresso na hora 10 €.


Dia 20 e 21 - sábado e domingo:

- 11, rue de Péclet, no 15eme arrond - concertos gratuitos de musica bretona do Pop Rock, Rock celta e musica tradicional 
Maquiagem gratuita para as crianças
Concurso de tortillas galicias
Feira de produtos bretães: biscoitos, conservas, ostras, escargots, crepes, artigos orgânicos, livros, pinturas, moda… 




Nenhum comentário: