Sempre tive uma grande paixão pelas viagens, em descobrir lugares novos, pessoas e costumes diferentes…


Ao longo dos últimos vinte anos viajei pelos cinco continentes, totalizando 35 países.


Foi viajando que encontrei a minha vocação. Me tornei guia de turismo no Rio de Janeiro, onde estudei e obtive a credencial nas categorias: regional, nacional e internacional pela Embratur.


Em 2000, me casei e acabei fixando residência em Paris. Aqui fiz vários cursos como História da Arte na Escola do Louvre, História da Arte Renascentista na Escola Superior de Artes Aplicadas Duperré, além de outros cursos livres sobre o patrimônio artístico de Paris: arquitetura, pintura, escultura, jardins, etc.


Sou oficialmente Guia de Turismo em Paris com carteira profissional emitida pelo Ministério do Turismo e da Cultura da França.


Assim com o olhar de uma viajante e de uma profissional da área, tenho oferecido meus serviços de acompanhamento, organização e consultoria para turistas brasileiros em Paris.


Bienvenue à Paris !


Miriam Tanno Girardot


domingo, 9 de junho de 2013

A coluna de Julho na Bastilha

Foto: Miriam T. Girardot 
Muitos acham que a Coluna de Julho tem a ver com a Revolução Francesa iniciada no local em 1789, com a tomada da Prisão da Bastilha, que em seguida foi demolida completamente.
Essa coluna construída entre 1835 à 1840, comemora  na verdade, os três dias da revolução de julho 1830, chamada Trois Glorieuses (Três Gloriosas) que marca a queda do rei Charles X e seu regime da restauração, seguida pela instauração da monarquia de julho sob o reinado de Louis-Philippe 1°, o duque de Orleans, que se tornou o rei dos franceses.
Os revolucionários mortos tiveram seus nomes inscritos na Coluna de Julho e foram enterrados na necrópole, onde foi erguida a coluna. Mais tarde, quando houve uma outra revolução em 1848 para retirar Louis-Philippe do trono, mais 196 restos mortais dos revolucionários foram enterrados na necrópole também.
A inscrição da placa diz "À gloria dos cidadãos franceses que se armaram e lutaram pela liberdade pública nos memoráveis dias 27, 28 e 29 julho de 1830.
E no topo da coluna, uma estátua dourada do Gênio da Liberdade.

A Opéra Bastille foi construída em 1989 para comemorar o bicentenário da Revolução Francesa

Um comentário:

A senhora disse...

Moderno e antigo se misturam