terça-feira, 7 de junho de 2016

Exposição de fotos do franco-brasileiro Marcel Gautherot

Foto: Marcel Gautherot
No próximo dia 14 de junho 2016, começa na Maison Européenne de la Photographie, uma grande retrospectiva da obra do fotógrafo franco-brasileiro Marcel Gautherot. 
Esse fotógrafo nascido em Paris (1910-1996), foi estudante de arquitetura, mas quando foi encarregado de catalogar as peças de museu para a instalação do Museu do Homem, ele passou a se dedicar à fotografia.   

Influenciado pela leitura do romance "Jubiabá" de Jorge Amado, decidiu conhecer o Brasil em 1939, onde viveu e trabalhou por 57 anos.
Fixou residência no Rio de Janeiro e passa a freqüentar o circulo de intelectuais ligados ao Modernismo.

Começou a fazer trabalhos de fotografia para o SPHAN (Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), o Museu do Folclore, para a revista "O Cruzeiro", ilustrou inúmeras revistas de arquitetura, quase todas os textos do arquiteto paisagístico Burle Marx, as obras de Oscar Niemeyer, para quem fotografa a construção de Brasilia. 

Percorreu fotografando 18 estados brasileiros, registrando o povo, sua arquitetura, suas festas, obtendo uma coleção do vasto retrato da diversidade cultural do Brasil. 

Sua coleção é composta de mais de 25 mil negativos que pertence ao Instituto Moreira Sales, no Rio de Janeiro.

A exposição em Paris, sua cidade natal, é a primeira fora do Brasil, acompanhada por um belo livro, editado pelo IMS e impresso no Brasil pela IPSIS, com edições separadas em português, francês, inglês e alemão, com textos de Michel Frizot, Jacques Leenhardt, Lorenzo Mammi, Samuel Titan Jr. e uma apresentação de Gautherot e sua trajetória escrita por Sérgio Burgi. 

Essa exposição faz parte da temporada brasileira no MEP, assim como de outros fotógrafos  Joaquim Paiva, Celso Brandao e Vik Muniz.

Foto: Marcel Gautherot
O trabalho fotográfico de Marcel Gautherot no Brasil é caracterizada por uma cobertura territorial e regional visando à exaustão, uma imensa diversidade temática e uma qualidade estética extraordinária que tira da sua formação inicial de arquiteto, notadamente do interior da França.

Os dois pilares do seu trabalho, a fotografia de arquitetura e a fotografia etnográfica, testemunhando a visão particularmente forte de Marcel Gautherot que defende a importância da forma como uma ferramenta narrativa que lhe permite estruturar e trazer profundidade aos seus projetos de documentários a longo prazo. Esse conceito marcou cinco décadas de sua carreira no Brasil e fez dele um dos fotógrafos mais importantes do período pós-guerra no país.

Foto: Marcel Gautherot
A obra de Marcel Gautherot teve uma influência considerável nas representações e no imaginário moderno associado ao Brasil, tanto dentro do país como no estrangeiro. Seu projeto de documentário monumental sobre o Brasil, cujos arquivos armazenados no Instituto Moreira Sales, no Rio de Janeiro, são a testemunha de um  projeto de grande sensibilidade e uma consciência formal extraordinária, constituindo um legado duradouro para a cultura brasileira e um testemunho importante das ligações que unem o Brasil e a França, ao mesmo tempo que um ensinamento precioso para a compreensão da importância da fotografia como linguagem nômade e resolutamente internacional na construção da modernidade e contemporaneidade.
Sergio Burgi e Samuel Titan Jr.

Foto: Marcel Gautherot 
MEP - Musée Européenne de la Photographie
5/7, rue de Fourcy, no 4eme arrond.
Aberto de 4a.feira a domingo das 11h00 às 19h45
Ingresso: 8 € (inteiro) e 4,50 € (reduzido)
Data: 14 junho a 28 agosto 2016



Nenhum comentário:

Exposição NAPOLEÃO - 200 anos da morte de Napoleão

Foto: Miriam Girardot Por mais admirado e polêmico, Napoleão Bonaparte é uma figura complexa cuja vida oscila entre heroísmo e tragédia, vit...