quinta-feira, 30 de junho de 2016

No domingo, dia 03 de julho, a Champs Elysées é o palco dos pedestres e ciclistas

Foto: Miriam ATG

No domingo, dia 03 de julho 2016, a avenue des Champs Elysées será  apenas para os pedestres e ciclistas.

A avenida será fechada ao veículos motorizados das 8h00 às 20h00, dando prioridade aos pedestres e ciclistas entre a Place de la Concorde e o cruzamento da Avenida George V e Rue Washington.

Uma operação acontece a cada primeiro domingo de cada mês.

Fonte: http://www.paris.fr


quarta-feira, 29 de junho de 2016

Proibição da circulação em Paris de veículos matriculados antes de 1997


A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, anunciou que a partir do dia 1° de julho 2016, os veículos matriculados antes de 1997 não serão mais autorizados a circularem em Paris, assim como as motos matriculadas antes de 2000. 

Entre 2017 e 2020, a proibição se tornará total para alguns veículos e será estendido para os modelos mais recentes, de carros a diesel registrados antes de 2011.

Em cinco anos, apenas os veículos com pastilha poderão circular na capital, afirmou também Anne Hidalgo.

Isso me faz lembrar quando Londres começou a cobrar um pedágio urbano em 2003,  com o mesmo objetivo que deseja a prefeita de Paris:  incentivar a população a usar o transporte público, veículos mais limpos, bicicletas, motocicletas ou caminhar, reduzindo o engarrafamento e permitindo uma circulação mais rápida, menos poluente. 

Em 2011, um estudo realizado pela Health Effects Institute não conseguiu provar evidências de um impacto positivo do pedágio urbano na qualidade do ar de Londres.

Na verdade, esse sistema afeta as classes mais desfavoráveis que as ricas, já que por aceder o centro da capital se paga 11,50 libras sem levar em conta o modelo e tamanho do veiculo.

O que a Prefeitura de Paris impõe com essa nova lei é que a população troque seus veículos por mais novos, o que certamente a população menos favorizada não poderá fazer. 

O video abaixo em francês é uma sátira e uma forma de protestar contra a lei Hidalgo.



Le Tour de France nas lentes de Sebastião Salgado em Paris

Foto do site da Galeria Polka 
Desde o início de sua carreira como fotógrafo, Sebastião Salgado sempre viajou pelo mundo para documentar os homens, seu trabalho e o planeta Terra. 
Em 1985, ele aceitou o pedido de uma matéria do jornal "Libération",  embora já houvesse começado a série "The Hand of Man - A mão do homem"".
Foi contratado pelo jornal para cobrir o Tour de France, ao lado dos ciclistas, assim como dos espectadores. 
Nesta série incomum, o fotógrafo não poderia negligenciar sua obsessão pelo homem e seu ambiente. "Eu já amava a França e após acompanhar o Tour de France, passei a amar ainda mais, " diz Sebastião Salgado. 
Foi assim que a parir de 04 ao 27 de julho 1986, o fotógrafo brasileiro seguiu cada etapa da competição, parando em cada vilarejo. 
Acompanhado pelos jornalistas Pierre Briançon, Gilles Millet e Jean Hatzfeld,que se surpreenderam com a sinceridade de olhar fotográfico de Salgado. 
Foto do site da Galeria Polka 
As imagens de Salgado retratavam a França e seu povo. "Eu descobri um país dezesseis vezes menor do que o meu e talvez dezesseis vezes mais diversificado". 
Às vezes Salgado partia bem antes da corrida começar para "ver" as pessoas. Ele se familiarizava com a França, escutava os seus sotaques locais, fotografava os rostos dos locais, tornando-se mais interessado na "França da beira de estrada" que dos campeões do campeonato.
Foto do site da Galeria Polka 
Serão apresentadas 18 fotografias na Galeria Polka, do dia 02 ao 30 de julho 2016  
12, rue Saint Gilles, no 3eme. arrond.
De 3a.feira à sábado das 11h00 às 19h30
Entrada gratuita 

segunda-feira, 20 de junho de 2016

"Guinguette d'Angèle" de comida orgânica, sem glúten e vegana em Paris

Foto: Miriam ATG 
Caminhando em direção à Place des Victoires, passei pela rue des Coquillière e uma vitrine decorada delicadamente com flores naturais da "Guinguette d'Angèle" me chamou a atenção.  
Uma mini loja de cozinha orgânica (biologique), utilizando produtos da estação e sem glúten, vende refeições take away "lunch box détox": sobremesas cruas/veganas, suco verde, açaí fresco e smoothies, uma pequena mercearia 100% vegana !
O preço de uma refeição custa 13 €: suco + prato do dia + sobremesa. 


Para Angèle, a cozinha é uma verdadeira arte de viver, onde o seu lema é se alimentar de forma saudável e com prazer, sendo a sua prioridade, a qualidade e a boa associação de produtos.
Nosso açaí 
Ganhando experiência fazendo jantares na casa de particulares, decidiu criar um serviço de restauração, oferecendo produtos orgânicos, produzidos na região e sem glúten, aplicando seu conhecimento de Naturopatia. 
A "Guinguette d'Angèle"  é uma mini loja de cozinha orgânica (biologique), utilizando produtos da estação e sem glúten.
Para Angèle, a cozinha é uma verdadeira arte de viver, onde o seu lema é se alimentar de forma saudável e com prazer, contribui para a felicidade !
A qualidade e a boa associação de produtos é uma prioridade na cozinha de Angèle
A paixão pela cozinha foi herança de família. Ela cresceu entre Paris, na rue Daguerre, onde existe uma feira permanente na rua e a fazenda em Grasse. 
Desde pequena, ela desenvolveu uma curiosidade pelos alimentos, onde a horta era o seu local favorito para brincar. 
Angèle começou a se interessar pela agricultura orgânica e pelo movimento "Locavore" criado por três americanas de San Francisco, que é comer alimentos cultivados dentro de um raio de 100 à 250 km de onde vivem. 
Assim, ela foi viver em San Francisco, no período em que ainda era estudante do colegial, trabalhando no Ferry Building Market, um mercado especializado em produtos orgânicos cultivados por agricultores locais.
Também morou alguns anos na Australia, se interessou pelo "Green Juice" e o modo de vida saudável, sendo lá que Angèle se decidiu por esse tipo de cozinha e estilo de vida.
Do encontro com Céleste Candido em 2006, que lhe transmitiu a paixão pela Naturopatia, desintoxicação e os princípios da saúde natural. Angèle começou a dar cursos de desintoxicação alimentar nos quatro cantos do mundo, antes de começar a escola de Naturopatia em Paris, a Cenatho (Colégio Europeu de Naturopatia Tradicional Holística de Daniel Kieffer).
Foto: Miriam ATG 
Guinguette d'Angèle - http://laguinguettedangele.com
34, rue de Coquillière, no 1er arrond.
Aberto de 2a.feira a sábado, das 11h30 às 15h00 - somente take away
O menu do dia é publicado todas as manhãs no Facebook e Instagram  @LAGUINGUETTEDANGELE
Foto: Miriam ATG





Memorial dos Mártires da Deportação em Paris

Foto: Miriam ATG 
Inaugurado em 12 de abril de 1962 pelo General de Gaulle, quando era Presidente da República, o Memorial dos Mártires da Deportação  mostra alguns aspectos característicos de um campo de concentração: prisão, opressão, fuga impossível, desgaste de um longo calvário, a vontade de extermínio e degradação.

Foto: Miriam ATG d
Projetado pelo arquiteto Georges-Henri Pingusson, a grande cripta da forma hexagonal, mal iluminada, abre-se pela galeria coberta de bastões luminosos representando os deportados mortos nos campos, assim como as cinzas de um deportado desconhecido do acampamento Natzweiler-Struthof.

Foto: Miriam ATG 
De ambos os lados da cripta, duas pequenas galerias contêm terra originária de vários campos de concentração e cinzas dos crematórios, dentro de urnas triangulares.

Foto: Miriam ATG
Ao redor,  inscrito em letras vermelhas, os nomes dos campos e trechos de poemas de Robert Desnos, Louis Aragon, Paul Eluard, Jean-Paul Sartre e Antoine de Saint-Exupéry.

Foto: Miriam ATG 
Anualmente, no  último domingo de abril, o Memorial comemora o Dia da Memória dos mártires e os heróis da deportação.
Foto: Miriam ATG 
Memorial dos Mártires da Déportation  
Square de Ile de France - fica bem atras da Catedral Notre Dame de Paris - esse jardim é agradável.

Foto: Miriam ATG
Horário de funcionamento:
Aberto de 3a.feira a domingo
Do dia 1° outubro ao 31 de março: 10h00 às  17h00
Do dia 1° abril ao 30 de setembro: 10h00 às 19h00

Tempo de visita: 30 minutos
Visita gratuita

Foto: Miriam ATG 

domingo, 19 de junho de 2016

Festa do Cinema 2016 em Paris


A partir do dia 26 ao 29 de junho 2016, acontece o 32° Festival do Cinema em Paris, e em todos os cinemas da França !

Durante 4 dias, a o ingresso custará apenas 4 €, sendo que a média do preço normal é 11,70 €.



sábado, 18 de junho de 2016

Bateau Lavoir em Montmartre


Foto: Miriam ATG 
Localizada na Place Émile Goudeau, no bairro de Montmartre, o Bateau Lavoir foi construído em madeira e tijolo, sua fachada em frente à praça corresponde ao segundo andar da parte de trás que dá na rue Garreau, por causa do desnível do terreno.
Foi uma fábrica de piano antes de tornar-se um ateliê improvisado, era um lugar pobre, muito frio no inverno e muito quente no verão, foi ocupado por uma maioria de jovens estrangeiros nos seus vinte anos, sem dinheiro… 
Rapidamente, o local passou a ser o ponto de encontro de pintores, escritores, atores e marchand de artes. 
Pablo Picasso se instalou no Bateau Lavoir em 1904, quando estava no seu período rosa, mas foi com sua famosa obra cubista "Les Demoiselles d'Avignon" que ele revolucionou a pintura, em 1907.
Entre as muitas pessoas que freqüentaram o local: Paul Gauguin, Amedeo Modigliani, Kees van Dongen, Henri Matisse, Georges Braque, Fernand Léger, André Derain, Raoul Dufy, Utrillo, Juan Gris, Max Jacob, Jean Metzinger Louis Marcoussis, Guillaume Apollinaire, Edmond-Marie Poullain, Alfred Jarry, Jean Cocteau, Raymond Radiguet, Gertrude Stein, Charles Dullin, Harry Baur, Ambroise Vollard, Daniel-Henry Kahnweiler, Berthe Weill, Jacques Gaston Emile Vaillant, Robert Tatin, Maurícias Denis, Endre Rozsda, Virginia Tentindo, Ksenia Milicevic, Pierre Mac Orlan, Marie Laurencin, Gen Paul, Otto Freundlich, Georges Guyot, etc.
Em 1969, o Bateau Lavoir foi tombado monumento histórico pelo escritor e Ministro da Cultura, André Malraux.
O local foi destruído pelo fogo em 1970, mais oito anos mais tarde, foi reconstruído em concreto, oferecendo 25 ateliês aos jovens artistas. 
Foto: Miriam ATG 

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Coluna Médicis em Paris

Foto: Miriam ATG 
A Coluna Médicis em forma dórica, construída em 1574, é atribuída ao arquiteto Jean Bullant, por ordem da rainha italiana Catarina de Médicis, esposa do rei francês Henry II.
Foi construído no antigo pátio do palacete da rainha,  que foi demolido no século, restando apenas a coluna. 
A primeira coluna isolada construída em Paris, possui  31 metros de altura, 3 metros de largura, e contém uma escadaria interna de 147 degraus que levam a uma plataforma encimada por uma estrutura de metal. 
A função da coluna nunca foi estabelecida com precisão, embora muitos autores acreditam que é a coluna era a prova do gosto da rainha pela astrologia: seria na verdade serviu como ponto de observação de céu em Como Ruggieri astrólogo para a rainha.
Apesar das muitas transformações arquitetônicas do bairro e ameaçada de destruição muitas vezes, a coluna foi poupada e em 1862 foi tombada monumento histórico.
Foto: Miriam ATG
No lugar do palacete da rainha demolido, foi construido em 1760, o Halles aux Blés - onde era comercializado o trigo, um prédio arredondado. 
Em 1889, o local é transformado na Bolsa do Comércio.
Mais tarde, em 1949, passou a ser a Câmara de Comércio e atualmente Câmara do Comércio e da indústria de Paris.
Localiza-se nos jardins de Les Halles.



Lili's Brownies em Paris

Foto: Miriam ATG 
Passando na Galeria Choiseul, pela entrada da rua des Petits Champs, no n° 40, dei de cara com um pequeno café, a Lili's NCY, um café no estilo americano com uma vitrina convidativa recheada de muffins, brownies, mini-brownies, donuts, cakes, scones, cookies…

Foto: Miriam ATG 
Uma seleção variada de loaf bread (pão de forma): banana-nozes, limão, laranja-chocolate, laranja-tangerina, limão-amêndoas, matcha (chá verde japonês em pó).

Loan Bread - Pão de Forma
Foto: Miriam ATG
Além dos doces, propõem saladas, sanduíches,  sopas, pizzas, muffins salgados.

Muffins salgados
Foto: Miriam ATG

Lili's Breakfast  -  6,60 €
Café da manhã servido até as 11h00: 
Bebida quente tamanho médio a escolher + patisserie (cheesecake + 0,60 €) + suco de laranja fresco

Foto: Miriam ATG
Menu Lili's Favorite  -  9,90 €
Pedaço de pizza, sanduíche, sopa ou salada a escolher +
patisserie a escolher (cheesecake + 0,60 €) + bebida a escolher

Foto: Miriam ATG 
Servem cafés quentes e gelados, chás, sucos de frutas e de legumes…

Foto: Miriam ATG 
Os produtos são de boa qualidade, que só de olhar dá água na boca, o local é pequeno e simpático, com poucas mesas, acho que duas ou três. 
Eu comi um muffin double chocolate que estava delicioso.

Mini-brownies
Foto: Miriam ATG 
Também vendem geléias, cereais e canecas personalizadas.

Foto: Miriam ATG 
Na placa está escrito Lili's NYC, no Facebook Lili's Fr @Lilis Brownies e na Instagram como Lilis Brownies.
A marca não possui um site internet.

Foto: Miriam ATG 
Há três endereços em Paris:
- 40, rue des Petits Champs, no 2eme arrond
- 35, rue du Dragon, 6eme arrond
- Gare Montparnasse em frente ao TGV (um quiosque)

Foto: Miriam ATG 




quarta-feira, 15 de junho de 2016

Exposição gratuita da Frente Popular de 1936 em Paris

Foto: Miriam ATG 
A Frente Popular foi uma coalizão de partidos de esquerda que governou a França de 1936 a 1938. 
Ela reuniu os três principais partidos de esquerda, a SFIO, o Partido Socialista Radical e do Partido Comunista.
O governo da Frente Popular foi o primeiro da 3a. República liderado pelos socialistas. 
Foi com esse governo que teve iniciou várias reformas sociais importantes e ainda hoje é uma das referências da memória e da história da esquerda francesa: 
- férias remuneradas (15 dias);
- a redução do tempo de trabalho com a semana de 40 horas; 
- e o estabelecimento de acordos coletivos.


A Frente Popular de 1936 em fotografia

Através das fotografias de Robert Capa, Henri Cartier-Bresson, Chim, Robert Doisneau e Willy Ronis, dos cartazes, jornais, revistas, clipes de som e filmes de época, a exposição "1936, a Frente Popular em fotografia", no Hôtel de Ville, destaca momentos inéditos da história, símbolos da união das forças de esquerda. 

Por ocasião do 80º aniversário da Frente Popular, essa exposição "1936, a Frente Popular em fotografia" revive a história política e social francesa através de clichés de grandes fotógrafos da época. 
Destacando esses momentos da história capturadas por fotógrafos excepcionais e apresentada em cartazes, jornais, revistas, clipes de som e filmes de época.


Jovens fotógrafos imortalizaram a História

Aos 20 ou 30 anos, armados com suas câmeras, os fotógrafos citados acima, então jovens e desconhecidos, registraram Paris nos anos 1930, para ilustrar jornais e revistas. 

Em 1936, a Frente Popular e o movimento de greve mais importante na historia da França, essa nova geração de fotógrafos decolou a partir desse momento. 
Cruzaram a capital e capturaram esses momentos históricos, aproveitando a oportunidade da crescente demanda da imprensa na revista que estava em pleno desenvolvimento.

Esses fotógrafos independentes não estavam sozinhos. Em Paris, capital da fotografia, florescia agências de fotografia: AGIP, Harlingue, Henri Manuel, Keystone, LAPI ... Que cobrem as notícias para jornais e revistas e informavam sobre os acontecimentos da rua, que era o lugar da expressão política e sindical, bem como a ocupação das fábricas pelos grevistas.


Uma exposição no coração de um momento excepcional da História

Em ordem cronológica, a exposição percorre o contexto político, econômico, social e cultural dos anos 1934-1935, focalizando na vitória eleitoral da Frente Popular, as greves do momento e o entusiasmo que a conquista social na primavera e no verão de 1936: férias na praia, vida ao ar livre, as saídas ao cinema e as noitadas nos cabarés com Josephine Baker e Mistinguett em cena. 
Em seguida, os 1936-1939 anos marcados por um contexto contraditório na Europa, entre a tragédia espanhola e o início da II Guerra Mundial. 
Essa exposição destaca esses momentos da história capturadas por fotógrafos excepcionais. 
São mais de 400 obras que são apresentadas na Sala Saint Jean do Hôtel de Ville.

Curadora: Françoise Denoyelle

Datas: 19/05/2016 a 23/07/2016
Hôtel de Ville : 5, rue Lobau 
Metrô: Hôtel de Ville linha 1 e 11 
Horário: 10h00 às 18h30
De 2a.feira a sábado


terça-feira, 14 de junho de 2016

Festa da Musica 2016 em Paris


O Festival de Música - Fête de la Musique - sempre acontece na mesma data,  no dia 21 de junho, dia do solstício de verão.  

Criada em 1981, essa festa foi um sucesso desde o seu inicio, tanto que mais de 120 países e 700 cidades em todo o mundo celebram a Festa da Música,  tornando-se um evento internacional. 

Grande evento popular gratuito, aberto a todos os músicos amadores  e profissionais, para celebrar a música ao vivo e dar a importância à diversidade das práticas musicais, assim como todos os gêneros musicais.

É uma das festas populares de maior sucesso na França, justamente porque as pessoas podem livremente se exprimir tocando, cantando e dançando. 

As de Paris são muito animadas, por isso é bacana percorrer a cidade durante toda a noite. 
Alguns espetáculos são previamente anunciados, como vocês podem verificar acessando o site oficial:
http://fetedelamusique.culturecommunication.gouv.fr/Programme#5/48.589/-8.086

Para que todos aproveitem bem essa Festa da Musica, um bilhete especial para o transporte público : metrô, RER, ônibus, tranway… com exceção do Orlyval. Permite o uso ilimitado a partir das 17h00 até as 7h00 do dia seguinte. Custa apenas 3,50 €.

Seis linhas de metrô circularão a noite toda: 1, 2, 4, 6, 9, 14




A linhas de trem RER: A, B, C, D, H, J, L, N e P funcionarão toda a noite 


Os ônibus que funcionarão:
Gare St-Lazare: N24, N51, N52, N53, N150, N152, N153, N154,
Gare de l'Est: N23, N41, N42, N43, N44, N45, N140, N141, N142, N143
Gare de Lyon: N31, N32, N33, N34, N35, N130, N131, N132, N133, N134, N144
Gare Montparnasse: N21, N61, N62, N63, N66, N122, N145
Não funcionarão: N22, N71, N135 





Tarifa fixa dos taxis entre os aeroportos à Paris e vice-versa


Depois da guerra entre os taxistas e os  VTC (veículos de turismo com motorista), incluindo o Uber, mas sem a pancadaria que tem acontecido no Brasil, o governo decidiu aplicar uma tarifa desde o dia 1° de março 2016, entre Paris e os aeroportos Charles de Gaulle e Orly e vice-versa.
O preço é o mesmo se você está sozinho ou até em 04 pessoas.
A partir da 5a. passageiro paga-se um acréscimo de 4 € por pessoa, mesmo sendo uma criança.  
Entre o aeroporto de Paris "Charles de Gaulle"  ⇄  - margem direita: 53 €
Entre o aeroporto de Paris "Charles de Gaulle" ⇄ Paris - margem esquerda: 58 €
Entre Paris e o aeroporto de Orly ⇄ Paris - margem direita: 37 €
Banco entre Paris e o aeroporto de Orly ⇄ Paris - margem esquerda: 32€
Se você quer saber o que é a margem direita (rive droite) e margem esquerda (rive gauche), é o rio Sena que corta a cidade de Paris. 
Assim, a margem direita está mais próxima do aeroporto Charles de Gaulle, ao norte. 
E a margem esquerda está mais próxima do aeroporto de Orly, no sul.

Diferentemente dos Estados Unidos, aqui na França a taxa de serviço já está incluída no preço final, por isso a gorjeta não é obrigatória. 

Na volta, para ir ao aeroporto, você pode pedir à recepção do hotel para reservar um táxi com horário marcado, mas saiba que o motorista vai cobrar 7 € de suplemento e se ligar na hora 4 €.

Não há taxas ou sobretaxas adicionais, não há cobrança de  quilômetros percorridos e nem de suplemento de bagagem como era cobrado antes (1€ pela segunda bagagem colocada no porta-malas). 

Essa medida do governo em fixar os preços das corridas, nos tranqüilizou para pegarmos um taxi no aeroporto.

Considere que a opção mais prática é pegar um táxi se você:

- Tiver uma mala grande e pesada, porque nas estações de metrô há muitas escadas e corredores longos, são poucas as estações que possuem elevador;

- É a primeira vez que vem à Paris e utilizar o metrô e trem em Paris parece ser muito complicado;

- Está cansado depois de onze horas de viagem (isso se o vôo ter sido direto), sem contar o tempo desde que você saiu da sua casa, pois afinal,  nem todo mundo mora em São Paulo e Rio;

- Estiver acompanhado de mais uma ou duas pessoas;

- Você não fala inglês e muito menos francês.

Pegar um táxi é a coisa mais simples: basta dizer "bonjour" ou "bonsoir" ao taxista, dizer o nome e o endereço do hotel (caso tenha dificuldade com o idioma, basta mostrar o papel) que ele te deixará na porta, simples assim.

Um conselho muito útil: antes de entrarem no táxi, confirme o valor da corrida informando margem direita ou esquerda (ou mostre o endereço). Pois, recentemente, uma família de quatro pessoas pegaram um táxi no aeroporto Charles de Gaulle para irem à um hotel na margem esquerda. O taxista além de ligar o táximetro, parou num posto de gasolina para abastecer (?) e ainda cobrou 85 € pela corrida. Um abuso ! 

Os pontos de táxi sempre se encontram nas partes externas do aeroporto.

 Charles de Gaulle:

- Terminal 1:  Porta 24 no andar de chegada - niveau arrivée
- Terminal 2 A:  Porta 6
- Terminal 2 C:  Porta 14
- Terminal 2 D:  Porta 7
- Terminal 2 E:  Porta 10 no andar de chegada - niveau arrivée
- Terminal 2 F:  Porta 11 no andar de chegada - niveau arrivée
- Terminal 2 G:  Porta azul - porte bleue
- Terminal 3: Saída du Hall de chegada - sortie du hall arrivée

Orly 1 e 2 : Saída 14 A  - no nivel de chegada (niveau arrivées)

Orly 4 : Saída 48 A L (sortie 48 A)

Fonte: Serviço Publico Francês - https://www.service-public.fr/professionnels-entreprises/vosdroits/F22127



domingo, 12 de junho de 2016

Festival do Tibete e dos Povos do Himalaia 2016 em Paris

Foto: Miriam ATG 
Começou ontem, dia 10 de junho 2016, o Festival do Tibete e dos Povos do Himalaya em Paris, são três dias de festividade.

Foto: Miriam ATG 
Esse festival teve início em 2000, onde as culturas e tradições ancestrais do Himalaia são representados pelo Tibete, Nepal, Butão e India. 
Foto: Miriam ATG
A programação é extensa com conferências, exposições de pinturas, criação de mandala, ateliês de papagaio, projeção de filmes, meditação, canto e danças…

Artista Tshering Wangdu - foto: Miriam ATG
Há muitas barraquinhas de artesanato, livros, comida e bebidas típicas.
   
Foto: Miriam ATG
O evento acontece no Centre Bouddhique Tibétain de Paris, no Lago Daumesnil, Bois de Vincenne, com uma área de 8.000m2,  onde há um pagoda que foi construído na ocasião da Exposição de Paris em 1931, que abriga a maior estátua de Buda dourada na Europa, com mais de 9 metros de altura.

Foto: Miriam ATG


O Grande Pagoda de Vincennes é o lugar mais importante de culto budista na capital. 

Foto: Miriam ATG 
O local é aberto ao público durante importantes celebrações budistas. 

Foto: Miriam ATG 
Site oficial do festival :
http://www.festivalcultureldutibet.com/#!festival-11-12-juin/cjg9




Exposição NAPOLEÃO - 200 anos da morte de Napoleão

Foto: Miriam Girardot Por mais admirado e polêmico, Napoleão Bonaparte é uma figura complexa cuja vida oscila entre heroísmo e tragédia, vit...