Sempre tive uma grande paixão pelas viagens, em descobrir lugares novos, pessoas e costumes diferentes…


Ao longo dos últimos vinte anos viajei pelos cinco continentes, totalizando 35 países.


Foi viajando que encontrei a minha vocação. Me tornei guia de turismo no Rio de Janeiro, onde estudei e obtive a credencial nas categorias: regional, nacional e internacional pela Embratur.


Em 2000, me casei e acabei fixando residência em Paris. Aqui fiz vários cursos como História da Arte na Escola do Louvre, História da Arte Renascentista na Escola Superior de Artes Aplicadas Duperré, além de outros cursos livres sobre o patrimônio artístico de Paris: arquitetura, pintura, escultura, jardins, etc.


Sou oficialmente Guia de Turismo em Paris com carteira profissional emitida pelo Ministério do Turismo e da Cultura da França.


Assim com o olhar de uma viajante e de uma profissional da área, tenho oferecido meus serviços de acompanhamento, organização e consultoria para turistas brasileiros em Paris.


Bienvenue à Paris !


Miriam Tanno Girardot


quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

M. CHAT - Street Art em Paris

Foto do site 

M. CHAT (sempre escrito em letras maiúsculas) é um gato laranja de sorriso largo criado pelo artista  Thoma Vuille, em 1997. 

Pintado com tinta acrílica nos muros, estações de metrô, em locais inacessíveis...

O sorriso largo do gato, segundo Nora Monnet, representa "uma manifestação de benevolência ao destino universal, uma preposição poética aberta ao mundo". 

Thoma começou pintando seu gato nas paredes da sua cidade, em Orleans, principalmente no nível dos telhados, com o único objetivo de "transmitir mais humanidade e amor à cidade", pois considerava a cidade cinza e pouco ensolarada.

Em Strasbourg - foto do site
Seu personagem passa por uma variação constante, tanto que em 2003, M. Chat passou a ter asas brancas, sem nunca perder seu traço original. Sua simplicidade permite-lhe alcançar uma dimensão simbólica. 

Seu grafitismo apareceu nas cidades de Nantes, Tours, Rennes, Blois, Saint-Etienne, Paris, Londres, Viena, Genebra, Lisboa, Nova York…

Em Lisboa - foto do site 

Assinava suas obras com um misterioso M. CHAT até que em março de 2007, foi preso em flagrante pela policia municipal de Orleans quando pintava um muro, sendo obrigado a revelar sua identidade.

M. CHAT ganhou ainda mais popularidade por ter sido o fio condutor do filme "Chats Perchés" de Chris Marker (cineasta falecido em 2012, que nunca concedia entrevistas e nem se deixava fotografar, quando lhe pediam uma foto sua, ele dava a de um gato). 
Quando o filme foi  lançado em 2004, no Centre Georges Pompidou, um gigantesco M. CHAT foi pintado na praça em frente ao Centro GP. 
Na praça em frente ao Centre Georges Pompidou
foto do site 

Ele passa a trabalhar em parceria com a prefeitura de Orleans ou o Conselho Regional de Poitou-Charentes.
Essa evolução é algumas vezes interpretada como uma renuncia à abordagem crítica e a mercantilização da sua criação, que Thoma se defende dizendo que sua arte amadureceu e que após dez anos recebendo o RMI (ajuda mínima de inserção no mercado de trabalho), ele aspira ganhar a sua vida através do seu trabalho.

Se emancipando da Arte de Rua, a arte de Thoma Vuille toma outra dimensão, longe do mundo individualista do grafitismo,  com o objetivo de contornar a habitual relutância e compartilhar a arte com uma  cultura de proximidade. 

Reconhecido pelos líderes da cena européia da Art de Rua, como Franck Shepard Fairey, Bansky, Sapece Invader,  Thoma Vuille deseja aderir à outros movimentos menos marginalizados como a Pop Art ou Land Art.

Nenhum comentário: