Sempre tive uma grande paixão pelas viagens, em descobrir lugares novos, pessoas e costumes diferentes…


Ao longo dos últimos vinte anos viajei pelos cinco continentes, totalizando 35 países.


Foi viajando que encontrei a minha vocação. Me tornei guia de turismo no Rio de Janeiro, onde estudei e obtive a credencial nas categorias: regional, nacional e internacional pela Embratur.


Em 2000, me casei e acabei fixando residência em Paris. Aqui fiz vários cursos como História da Arte na Escola do Louvre, História da Arte Renascentista na Escola Superior de Artes Aplicadas Duperré, além de outros cursos livres sobre o patrimônio artístico de Paris: arquitetura, pintura, escultura, jardins, etc.


Sou oficialmente Guia de Turismo em Paris com carteira profissional emitida pelo Ministério do Turismo e da Cultura da França.


Assim com o olhar de uma viajante e de uma profissional da área, tenho oferecido meus serviços de acompanhamento, organização e consultoria para turistas brasileiros em Paris.


Bienvenue à Paris !


Miriam Tanno Girardot


terça-feira, 29 de setembro de 2015

Guerra contra as pontas de cigarros jogadas nas calçadas parisienses


A Prefeitura de Paris decretou guerra contra as pontas de cigarros jogadas nas ruas da capital.

Anualmente são jogadas 350 toneladas de pontas de cigarros nas calçadas parisienses, tanto que a prefeitura local decretou que a multa de 35 € passa à 68 €. 

O decreto não pune somente aqueles que jogam pontas de cigarros, mas para todos os tipos de incivilidade de limpeza pública como urinar na rua, excrementos de cachorros, lixo e até mesmo chicletes jogados nas calçadas.

Desde 2012, a prefeitura começou a instalar lixeiras equipadas para que os fumantes possam apagar e jogar as pontas de cigarro, totalizando cerca de 30 mil "poubelles bagatelles" como são chamadas aqui.


Durante mais de uma década a prefeitura havia decretado guerra contra os excrementos de cachorros que inundavam as ruas de Paris. 

Melhorou sensivelmente, mas ainda há  "maître e maîtresse"  (proprietário) de cachorros que não recolhem os excrementos pelo simples fato de não existir uma patrulha permanente e nem suficiente para uma cidade com mais de 2 milhões de habitantes.   

Acredito que a mesma coisa aconteça com as pontas de cigarros, uma vez que somente quando o infrator é pego cometendo o delito que ele é multado.

Se o fumante não se importa com os danos que o cigarro pode causar à sua saúde, o problema é dele.

Mas que o fumante esteja ciente do que toneladas de pontas de cigarro podem causar ao meio ambiente,  se somente uma ponta de cigarro pode contaminar 500 litros de água...








Nenhum comentário: