Sempre tive uma grande paixão pelas viagens, em descobrir lugares novos, pessoas e costumes diferentes…


Ao longo dos últimos vinte anos viajei pelos cinco continentes, totalizando 35 países.


Foi viajando que encontrei a minha vocação. Me tornei guia de turismo no Rio de Janeiro, onde estudei e obtive a credencial nas categorias: regional, nacional e internacional pela Embratur.


Em 2000, me casei e acabei fixando residência em Paris. Aqui fiz vários cursos como História da Arte na Escola do Louvre, História da Arte Renascentista na Escola Superior de Artes Aplicadas Duperré, além de outros cursos livres sobre o patrimônio artístico de Paris: arquitetura, pintura, escultura, jardins, etc.


Sou oficialmente Guia de Turismo em Paris com carteira profissional emitida pelo Ministério do Turismo e da Cultura da França.


Assim com o olhar de uma viajante e de uma profissional da área, tenho oferecido meus serviços de acompanhamento, organização e consultoria para turistas brasileiros em Paris.


Bienvenue à Paris !


Miriam Tanno Girardot


terça-feira, 15 de março de 2016

Dia 17 de março é a festa irlandesa de Saint-Patrick em Paris !


Dia de São Patrício - Saint Patrick, é uma festa cristã celebrada pela Igreja Católica, a Igreja Ortodoxa, a Igreja Luterana e a Igreja da Irlanda (anglicana). 
É comemorado pelos irlandeses em todo o mundo, descendentes de imigrantes ou não, e a sua popularidade se estende à todos que participam das festividades e se dizem  "irlandeses por um dia."


Quem foi Saint-Patrick ?
Pouco se sabe da vida de Patrício, apesar de ser notório seu nascimento na Inglaterra Romana no século IV, em uma rica família romano-bretã. Seu pai e avô foram clérigos da Igreja Cristã.  Aos dezesseis anos, ele foi raptado por piratas irlandeses e levado para a Irlanda como escravo. Acredita-se que ele ficou em cativeiro em algum lugar na costa oeste da Irlanda, possivelmente no Condado de Mayo, mas o local exato é desconhecido. De acordo com sua confissão, Deus lhe disse, em sonhos, para fugir de seu cativeiro para o litoral, onde ele iria embarcar em um navio e retornar a Bretanha. Ao voltar a Bretanha, na Gália, atual França,  entrou para o mosteiro de Ésir, em Auxerre, sob orientação do santo bispo Germano. 
Em 432, alegou ter recebido um chamado para regressar à Irlanda, porém como bispo, para a evangelização dos irlandeses. Depois de quase trinta anos de evangelização, Patrício (Louis Andrew) faleceu no dia 17 de março de 461, e, de acordo com a tradição, foi enterrado em Downpatrick. Apesar do êxito de várias missões à Irlanda empregadas por Roma, Patrício perdurou como o campeão principal do cristianismo irlandês e é bastante estimado pela Igreja Católica irlandesa e de todo o mundo.


Por que a cor verde ? 
Dizem que Saint-Patrick usou o trevo para explicar a Santíssima Trindade aos pagãos celtas, com isso, o uso de trevos de três folhas e similares estão intimamente ligados aos festejos.
Desde o século XVII, as  fitas e trevos eram usados nas ruas para celebrar a data. Assim, com o passar dos anos, a cor verde e sua ligação com o dia de Saint-Patrick foi aumentando. 
Na rebelião irlandesa de 1798, na esperança de propagar seus ideais políticos, soldados irlandeses vestiram uniformes verdes no dia 17 de março, na esperança de chamar a atenção pública à rebelião. A expressão irlandesa "the wearing of the green" (vestindo o verde) significa usar um trevo ou então outra peça de roupa em referência aos soldados rebeldes.


A festa de Saint-Patrick 
Existe uma má interpretação do dia da festa de St. Patrick, porque há dois aspectos da percepção do evento: um representando a observância religiosa do dia e o outro que refere-se à promoção da cultura irlandesa através do festival irlandês implantada pelo governo. Para a mídia e principalmente pela mídia estrangeira, o amálgama é feito muito rapidamente entre os dois, por duas razões: 
-porque St. Patrick beneficia de uma grande popularidade enraizada na Irlanda desde  o século X;
-pelo frenesi do festival criado pelo governo irlandês, que ganha cada vez mais adeptos por seu lado festivo, não somente na Irlanda, mas  onde se encontram as comunidades irlandesas espalhadas pelo mundo. 
No estrangeiro, este festival é percebido principalmente como uma celebração do que faz a Irlanda: o verde, os trevos e a cerveja. 
O consumo da cerveja é amplamente promovido pelo espírito festivo, às vezes dando origem a excesso, mas também a nível cultural, onde St. Patrick torna-se uma espécie de cult da cerveja irlandesa no imaginário coletivo. 
Nova York apresenta o maior desfile de St. Patrick , com mais de dois milhões de espectadores na Quinta Avenida, em frente às torres do santuário dedicado a São Patrício. 
Por isso, observem que hoje em Paris, vocês encontrarão muitas pessoas alegres, vestindo verde e provavelmente com um copo na mão nos inúmeros pubs irlandeses espalhados pela cidade.

- Hideout Châtelet : 46, rue des Lombards (1er)
- Guiness Tavern : 31 rue des Lombards (1er)
- O ‘Sullivan : 92 Boulevard de Clichy (18e)
- La Taverne de Cluny : 51 rue de la Harpe (5e)
- Café Oz : 1 rue de Bruxelles (9e) 
- Corcoran’s  : Grands Boulevards : 23 boulevard Poissonnière (2e)
The Lizard Lounge : 18 rue du Bourg-Tibourg (4e)
- Truskel : 1, rue Feydeau (2e)
- Celtic Corner Pub : 88 rue de la Croix Nivert (15e) 
- Obrien's : 77, rue Saint Dominique (7e)
A Disney de Paris também festeja Saint-Patrick.

A Galeria Lafayette da Boulevard Haussmann irá comemorar o dia de St-Patrick com sua fachada e a bela cúpula toda iluminada de verde, como no ano passado, seguindo o evento criado pelo Turismo Irlandês.



A Loja de Deptos. BHV do Marais apresentará um show de dança e claquete da escola de dança irlandesa LaCaDanses, com 20 dançarinos em três horários : 17h30, 18h00 e 18h30.
BHV - 52, rue de Rivoli 
Viva St-Patrick

Cheers !

4 comentários:

A senhora disse...

Boa explicação, pois quando eu morava perto de Tókyo, eu via essa comemoração e não entendia porque ficar de verdinho.

A senhora disse...

Boa explicação, pois quando eu morava perto de Tókyo, eu via essa comemoração e não entendia porque ficar de verdinho.

A senhora disse...

Boa explicação, pois quando eu morava perto de Tókyo, eu via essa comemoração e não entendia porque ficar de verdinho.

A senhora disse...

Boa explicação, pois quando eu morava perto de Tókyo, eu via essa comemoração e não entendia porque ficar de verdinho.